Como funciona o processo de tratamento de chorume?

10.551 Visualizações
Chorume
Foto: cenaestrutural

O chorume é um resíduo líquido de cor escura produzido pela decomposição química e biológica dos resíduos do lixo que contém uma grande carga orgânica. Por apresentar grandes concentrações de metais pesados e substâncias tóxicas, esta substância é altamente poluente e não pode ser despejado no solo, precisando ser tratado.

Produzido nos aterros sanitários que devem ter a sua base constituída por um sistema de drenagem de efluentes líquidos, uma camada impermeável e outra camada de solo compactada para evitar o vazamento de material líquido para o solo, prevenindo assim a contaminação dos lençóis freáticos.

A quantidade de chorume gerado por um aterro também recebe influência de fatores como água das chuvas, água subterrânea e decomposição de resíduos.

O impacto ambiental produzido pelo chorume é bastante acentuado. O seu tratamento é de um alto nível de complexidade e se torna um desafio constante para as empresas de saneamento ambiental.

Coleta do Chorume

Aterro sanitário
Foto: agecombahia

O sistema de coleta do chorume é feito, normalmente, na base do aterro, onde o material é capitado através de drenos. Só depois de coletado ele é enviado para lagoas ou tanques preparados para receber o efluente. Esses tanques devem ser fechados e as lagoas impermeabilizadas, para receber de forma correta o material.

Tratamento de Chorume

Depois da coleta, o chorume segue para o tratamento antes de ser reutilizado ou descartado. O tratamento é feito no mesmo local onde o material foi coletado. Dentre as formas de tratamento estão:

Tratamento Biológico: realizado nas lagoas anaeróbicas, aeróbicas e de estabilização;

Tratamento por Oxidação: onde é feita a queima e a evaporação do chorume;

Tratamento Químico: onde ocorre adição de substâncias químicas ao chorume.

No Brasil, a forma mais comum de tratamento é o biológico, por ser considerado bastante eficiente em aterros novos e com um alto teor de material bioquímico.

Tratamento Biológico

Tratamento de chorume
Foto: gtzecosan

Este processo pode ser afetado por fatores como clima, idade do aterro e quantidade de carga orgânica existente no chorume. Pode-se dizer que ele é composto por três unidades:

Lagoa Anaeróbica: onde o chorume fica em tratamento por sete dias. A degradação da matéria orgânica ocorre na falta de oxigênio. A profundidade dessa lagoa deve ser de dois a quatro metros;

Lagoa Aeróbica: após sair da Lagoa Anaeróbica, o chorume recebe uma oxigenação forçada por três a cinco dias. Nessa etapa ocorre a remoção de metais pesados;

Lagoa de Estabilização: depois de passar pela Lagoa Aeróbica, o chorume se transforma em lodo que é posto em um leito de secagem, onde, depois de seco, poderá ser descartado da forma correta.

O tratamento Biológico se caracteriza pela eficiência, simplicidade e baixo custo. O chorume é tratado com base na estabilização da matéria orgânica. E mais, se o aterro não dispuser de condições para manter as três lagoas, pode optar pela escolha de uma delas. Assim, o chorume será tratado, de acordo com o mecanismo da lagoa escolhida (ou anaeróbica, ou aeróbica, ou de estabilização). Porém deste modo, o resíduo líquido não poderá ser reaproveitado ou mesmo despejado, só armazenado.

O Chorume ainda é um desafio!

Chorume
Foto: cenaestrutural

Operar uma estação de tratamento de chorume ainda é um desafio a ser contornado. Dada a sua elevada carga bioquímica, a presença de substâncias tóxicas e metais pesados, o comprometimento do resultado final é bem maior.

O chorume é algo muito complexo, o que torna bastante difícil a determinação de técnicas de tratamento efetivas. Basicamente, as técnicas adotadas com sucesso por um aterro não garante que ao ser aplicado em outro aterro terá o mesmo resultado.

Essa dificuldade ocorre porque as identidades dos compostos presentes no chorume são complicadas de prever. Com isso, é impossível saber qual o tratamento é realmente efetivo. Mas, a necessidade de identificar esses compostos vem motivando uma pesquisa científica em nível mundial.

A eficiência dos métodos também fica comprometida em função da presença de compostos de difícil degradação biológica ou de grande resistência aos métodos convencionais. O que determina é um maior estudo envolvendo o chorume. Com isso, algumas novas propostas de tratamento estão sendo desenvolvidas com a finalidade de sanar essas dificuldades. A que vem se mostrando mais promissora propõe um processo misto, que abrange várias etapas de tratamentos já conhecidos.

Portanto, precisamos estar atentos e nos mantermos atualizados a respeito de como é tratado o chorume em nosso município, pois esta deve ser uma preocupação de todos!