Agência americana confirma que julho foi o mês mais quente em 137 anos

289 views
iStock.com / chaluk Especialistas acreditam que haverá mais recordes em 2016.

Não é novidade para ninguém que as temperaturas do planeta estão aumentando gradativamente a cada dia devido ao aquecimento global. Mas, também não é de hoje que recebemos alertas sobre os perigos e problemas causados pelas mudanças climáticas no mundo, como o derretimento das calotas polares.

E este ano tivemos outro aumento significativo na temperatura no mês de julho, fazendo dele o mês mais quente da Terra, estabelecendo um novo recorde para o calor global em 137 anos de medição, segundo os cientistas do governo dos Estados Unidos.

O extenso relatório mensal elaborado pelos 450 cientistas de todo o mundo da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) chegou à mesma conclusão que a agência espacial americana (NASA) que já havia divulgado esses dados climáticos dois dias antes.

O aumento de julho de 2016 foi de 0,87 graus Celsius acima da média do século XX, quebrando todos os recordes anteriores observados em julho de 2011 e 2015, que foi de 0,11 graus mais quentes. Segundo os cientistas essa tendência de calor está sendo estimulada pela queima de combustíveis fósseis, e é acentuada ainda mais pelo El Niño, fenômeno climático que aquece os oceanos de maneira anormal.

NOAA aponta em seu relatório que a temperatura média global da superfície da terra e dos oceanos foi, em julho de 2016, a mais quente não só dos meses de julho mas de qualquer mês nos anais dos registos de temperaturas da Agência Oceânica e Atmosférica Norte-Americana (NOAA), que remontam a 1880.

Especialistas preveem novos recordes

Outro sinal bastante alarmante do aquecimento global é que julho foi o 379º mês seguido com temperaturas acima da média do século XX. Para encontrar algo semelhante é preciso retroceder até dezembro de 1984 para ver um registro um pouco inferior à média.

Os locais que foram observados e tiveram calor acima da média foram em partes da Indonésia, sul da Ásia e Nova Zelândia, além da região do Golfo, com diversos locais em todo o Kuwait com temperaturas superiores a 45° C durante julho. Bahrein também sofreu com as temperaturas escaldantes, chegando a uma temperatura média de 36° C, mês mais alto desde 1902.

Os especialistas ainda afirmam que 2016 está no caminho de se tornar o ano mais quente da era contemporânea.

Para conferir o relatório completo, acesse o site da NOAA através do link.