O cenário da energia eólica no Brasil

467 Visualizações

Atualmente muito tem se falado do desperdício de energia elétrica. Porém, maneiras alternativas de se gerar essa energia, como a eólica, são pouco discutidas. Apesar de ter um território com ótimo potencial para se gerar energia através do vento, o nosso país ainda não aproveita em grande quantidade essa fonte de energia. Atualmente os números são irrisórios, cerca de 2% de participação no sistema elétrico nacional.

Energia Eólica
Foto: freedigitalphotos

Tudo isso gera uma grande preocupação, já que o desperdício da água e períodos de estiagem gerados pelo aquecimento global só está aumentando, o que afeta de forma direta as hidrelétricas, principal fonte de produção de energia em nosso país.

Além desses problemas, para a implantação das hidrelétricas se gera um grande impacto ambiental e social, como, milhares de pessoas deixando suas casas e animais tendo que mudar o seu habitat natural.

Fortaleza
Foto: skyscrapercity

Por esse motivo os cientistas se apressam cada vez mais em pesquisar e mostrar a importância de fontes de energias renováveis. Em comparação com 2011, no último ano aconteceu um acréscimo de 40 parques eólicos e a capacidade de geração de energia eólica no Brasil subiu 73%. Atualmente dispomos de 108 parques para produzir esse tipo de energia.

Para esse ano, podemos esperar números ainda melhores. De acordo com a ABEEólica, a capacidade de produzir energia através de nossos ventos deve crescer até 141%, chegando assim a 6 gigawatts. Se tudo ocorrer como o planejado, o Brasil vai terminar 2013 como o quarto país em capacidade de energia eólica do mundo.

Além disso, essa fonte pode receber ainda o investimento de US$ 10 bilhões até 2017. Esses números são importantíssimos para a diminuição da emissão de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera, que tem relação direta com o aquecimento global.