Curitiba coloca nas ruas 13 veículos elétricos destinados ao serviço público

435 Visualizações
Carro Eco-Elétrico de Curitiba
Foto: Divulgação

Curitiba mais uma vez mostra que é modelo de cidade sustentável. Desde o dia 12 de fevereiro, cerca de 10 automóveis e três micro-ônibus elétricos começaram a circular na capital depois de serem integrados à frota da Prefeitura. A medida é parte do projeto Curitiba Eco-elétrico, fruto de parceria entre administração municipal, Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel (CEIIA) de Portugal, usina hidrelétrica Itaipu Binacional e Aliança Renault-Nissan, que dispõe de veículos movidos à eletricidade e é considerada a maior frota do gênero usada em serviço público no país. Já pelo Brasil todo, de acordo com a Associação Brasileira de Veículos Elétricos (ABVE), existe apenas mil exemplares deste tipo de automóvel.

Os veículos atendem as demandas da Guarda Municipais, Instituto Curitiba de Turismo e Secretaria Municipal de Transporte. A parceria atende às exigências do Programa Mobilidade Urbana Sustentável, que estabelece metas para as reduções de impacto ambiental, neste caso, na redução de poluentes na atmosfera. A medida faz parte do plano para cumprir as recomendações do termo de compromisso com a sustentabilidade da cidade, assinada pelo prefeito Gustavo Fruet durante o C-40, evento mundial de projetos ligados à conservação do meio ambiente, realizado este mês em Jhoanesburgo (África do Sul).

Fases de implantação do projeto

O Eco-elétrico será desenvolvido em quatro etapas que vão deste ano até 2020. A primeira será a disposição dos carros para serem usados na Copa do Mundo FIFA 2014. Os órgãos públicos vão usá-los para fazer a patrulha de parques, zoológicos e praças, e em atividades culturais.

Ainda na primeira fase serão colocados 12 eletropostos para carregamento das baterias dos carros em quatro locais estratégicos: Parque Tanguá, rodoferroviária, Parque Barigui e Secretaria Municipal de Abastecimento.

Na segunda fase, prevista para durar entre 2015 e 2017, o projeto estipula postos de abastecimentos (eletropostos) com várias funções, além do abastecimento da bateria dos carros, como por exemplo, serviços de internet sem fio, informações turísticas, câmera de monitoramento e bicicletas compartilhadas. O eletroposto consiste em uma estrutura com um cabo, o qual é conectado ao veículo para ser recarregado, como se fosse um aparelho ligando em uma tomada.

Carro Eco-Elétrico de Curitiba
Foto: Divulgação

As baterias dos carros precisam ser recarregadas com cargas de 30 minutos a oito horas. O tempo de recarga varia de acordo com o modelo do veículo. Com a bateria totalmente recarregada, o Renault Kangoo Z.E. consegue rodar 125 Km; o Renault Twizy, 100 Km; e o Renault Zoe, 210 km. Porém os micro-ônibus possuem uma capacidade prevista de 100 Km, quando estiverem plenamente abastecidos de energia.

Além de Curitiba, somente outras duas prefeituras possuem carros elétricos. Búzios, no Rio de Janeiro, e Sorocaba (SP), com um híbrido (elétrico combustível).