China inicia construção de central de energia solar no Deserto de Gobi

637 views
Reprodução / BrightSource Energy Delingha é a maior usina solar a ser executada no mundo.

Com o alerta mundial para o meio ambiente, projetos de exploração de energias renováveis se tornam cada vez mais importantes. A China iniciou a construção de sua primeira usina solar comercial na extensão do deserto de Gobi. Batizada de Delingha, a imponente construção ocupará 25 Km² na província de Qinghai. O projeto conta com seis torres solares ligadas aos espelhos solares.

Quando concluída, a usina terá capacidade de produção de 200 megawatts que garantirão o fornecimento de energia para mais de 1 milhão de lares em Qinghai. Wu Longyi, presidente da empresa Qinghai Solar-Thermal Power Group, responsável pelo projeto, afirma que o armazenamento de calor das turbinas terá capacidade de suportar 15 horas e, portanto, a geração de energia será contínua e estável.

Na primeira fase da construção, duas torres ficarão prontas para iniciar a geração de 135 megawatts de energia e, assim, cobrir mais de 452 mil casas. Em seguida quatro outras torres serão concluídas para que seja possível abastecer mais de 1 milhão de famílias.

Essa é a maior usina solar em escala comercial a ser executada no mundo e está sendo desenvolvida em conjunto com os grupos BrightSource Energy, de Oakland, Califórnia, e o Shanghai Electric Group da China.

O projeto contribuirá para a ambiciosa meta chinesa de gerar 17,8 gigawatts de energia renovável com tecnologia solar até o final de 2015. Hoje a China é o país líder no mundo em investimento em energias renováveis.