Qualidade do ar: as melhores plantas para ambientes internos

674 Visualizações

Uma das características mais marcantes da maioria dos centros urbanos é a baixa qualidade do ar – principalmente quando há uma frota excessiva carros. Estas condições, somadas a quantidades baixas de espaços para o contato com a natureza em ambiente público, leva muitos a tentarem ter mais vida dentro de seus próprios lares, com a presença de plantas e flores.

Além de enfeitarem e trazerem um pouco de alento natural, existem plantas e flores que efetivamente têm a capacidade de purificar o ar de ambientes internos. Tê-las por perto é uma forma de incrementar a sua qualidade de vida. Confira abaixo algumas destas plantas e flores e comece hoje mesmo a deixar sua vida mais bonita e purificada.

Lírio-da-paz

É considerada uma verdadeira rainha dentre as plantas que combatem a poluição em ambientes internos. Seus processos biológicos literalmente devoram substâncias como o tricloroetileno, o benzeno e o xileno, o formaldeído e o amoníaco. Como requer pouco sol e pouca ventilação, é uma boa pedida para jardineiros de primeira viagem. A única atenção deve ficar por conta da rega, já que o lírio-da-paz necessita de bastante água para se manter vivo.

Lírio-da-paz
Foto: treknatures

Ráfis

É uma boa opção para ambientes como cozinha e banheiro, locais que costumam servir para o armazenamento de produtos de limpeza. Sua principal característica é conseguir praticamente eliminar do ar substâncias como o amoníaco e as emissões provenientes de detergentes, bem como formaldeídos e o xileno. Por crescer bastante, necessita de um espaço reservado especialmente para ela – que não precisa ser muito iluminado, já que a planta não tem uma grande necessidade de luminosidade.

Ráfis
Foto: mercadolivre

Espada-de-São-Jorge, filodentros e jiboia

Conhecidas por se proliferarem nos quintais de muitas casas Brasil afora, estas plantas removem do ar substâncias como formaldeído, que é liberado da madeira, compensado, carpetes, tecidos sintéticos e que também pode ser encontrado na fabricação de corantes e vidros. São plantas bastante resistentes e que não exigem cuidados especiais.

Espada-de-São-Jorge
Espada-de-São-Jorge. Foto: culturamix

Clorófito

Trata-se de uma planta indicada principalmente para ambientes com aquecimento, onde ocorra queima de gás ou de madeira. Absorve o benzeno, o tolueno, o monóxido de carbono, o xileno e o formaldeído, resultantes naturais desses processos de queima.

Clorófito
Foto: culturamix

Azaleia

As coloridas azaleias são especialmente eficientes quando o assunto é combater poluentes como os compostos orgânicos voláteis e amoníacos. Como o amoníaco está presente em muitos produtos de limpeza, pode estar presente em ambientes onde estes sejam armazenados. Muita prática em termos de cuidado, necessita ser regada apenas uma vez por semana, além de ter contato com a luz solar aproximadamente cinco horas todos os dias.

Azaléia
Foto: clikwebbr

Bromélia

Como auxilia, sobretudo, na absorção de diferentes tipos de fumaça, é indicada para compor a decoração e purificar o ar de cozinhas. Sua resistência é perfeita para quem não quer ter muito trabalho: precisa ser regada apenas a cada três dias e ao contrário da Azaleia, que precisa de muito sol, vive muito bem recebendo luz solar apenas de forma indireta.

Bromélia
Foto: etoya

Cacto

Prático e muito resistente, é indicado para barrar as ondas eletromagnéticas. É indicado ter um cacto na sala próximo ao aparelho de TV ou na cozinha, junto ao micro-ondas, por exemplo. Não bastasse essa capacidade, para quem acredita o cacto ainda a tirar as energias negativas dos ambientes.

Cacto
Foto: chaddadbonsai

Gérbera, begônia e crisântemo

Indicadas para as residências onde há fumantes, atuam de maneira eficiente contra a fumaça de cigarro. A Gérbera gosta de luz, já a Begônia tem que ser protegida da luz solar direta, assim como a Crisântemo que, apesar de precisar de muita luz, não suporta sol direto. Uma boa ideia é tê-las presentes em ambientes como salas e quartos.

Begônia
Foto: bionarede