Como espantar mosquitos utilizando repelentes naturais?

1.306 Visualizações
Mosquito da dengue - Aedes Aegypti
Mosquito da dengue – Aedes Aegypti. Foto: ubirata

O clima quente e as chuvas de verão geram um ar um pouco abafado, levando muitos mosquitos e insetos a se abrigarem dentro de ambientes fechados, como residências. Além de desagradável, a ocupação por esses organismos gera uma grande preocupação em relação às doenças oferecidas, como a dengue.

No mercado existem vários produtos que prometem espantar os mosquitos. Apesar de muitas vezes eficientes, por conterem componentes químicos eles podem fazer mal a saúde, provocando doenças, e contribuem para a piora do estado da camada de ozônio.

Neste sentido, o uso de repelentes naturais vem fazendo sucesso, já que alia a eficiência e praticidade ao aroma agradável. Além disso, não colaboram para a degradação do meio ambiente. Com um pouco de canela distribuída em pequenos sacos plásticos e espalhados pela casa, por exemplo, você afasta as moscas indesejadas.

O Manjericão também afasta os mosquitos com seu cheiro forte. Se estiver plantado junto com a erva do gato e a cascata gerânio, o efeito se torna mais potente ainda.

No caso das muriçocas, há um repelente natural específico: a essência da Citronela. O óleo extraído da planta conta com um perfume característico e pode ser útil para repelir essa espécie. Para isso, basta colocar o líquido em um borrifador com água e espirrar por todo o ambiente. Vale lembrar que para esse tipo de pernilongo os incensos e velas perfumadas também ajudam.

O tão temido mosquito da dengue também pode ser repelido. Além do cuidado com pneus e locais molhados, é possível utilizar Andiroba no combate, que tem efeito inseticida eficaz contra essa espécie. Já a Canfora, diluída em álcool e borrifada em paredes e armários, também pode ser utilizada para inibir a ação de aranhas e traças.

Castanha-do-para
Foto: mundodastribos

Alguns alimentos ricos em Vitamina B1 também são repelentes naturais contra mosquitos. Para se proteger, a ingestão mais intensa de alimentos desse tipo deve começar em torno de dez dias antes da exposição aos insetos. Entre os alimentos estão os vegetais verde escuros, arroz integral, aveia, amendoim, castanha-do-pará, levedo de cerveja, gema de ovo, fígado, cereais integrais. Caso você não consiga comer, basta ingerir um suplemento vitamínico.