Primeira estrada com proteção para animais é inaugurada em São Paulo

406 views
iStockphoto.com / wrzesientomek A passagem dos veículos será controlada em portais existentes nos dois extremos da estrada.

Quem é motorista, profissional ou amador, sabe como as estradas podem ser perigosas em alguns pontos do Brasil. Neblina, curvas acentuadas, negligência de outros motoristas… São vários os fatores que podem provocar acidentes gravíssimos e até mesmo causar mortes ao volante. Dentre as preocupações, a presença de animais nas estradas brasileiras também é uma situação que deve ser tratada com muita atenção, tanto para preservar a vida humana como também a dos animais que atravessam as estradas assustados e em busca de alimentos.

A boa notícia dentro deste assunto é que entre as cidades Sete Barras e São Miguel Arcanjo, na região sudoeste do Estado de São Paulo, agora é obrigação do motorista parar o veículo sempre que notar a presença de um animal na pista. O trecho em questão é de 33km na rodovia Doutor Carlos Botelho (SP-250). “As pessoas virão conhecer as belezas da Mata Atlântica nessa que é também uma ligação importante do litoral sul de São Paulo e do Vale do Ribeira com a região de Sorocaba”, disse Geraldo Alckmin, o governador do estado.

Durante evento montado para anunciar a nova lei e também o calçamento com bloquetes do trecho, o governador reforçou a importância das iniciativas em virtude da preservação de espécies animais que estão ameaçadas na região, como a onça-pintada e o mono-carvoeiro. Alckmin também lembrou que a região tem papel fundamental para o ecossistema, já que ali está o Parque Estadual Carlos Botelho com mais de 37,6 mil hectares de Mata Atlântica.

Nova infraestrutura da rodovia

Além do calçamento com bloquetes (quando há atrito com pneus, causa barulho que assusta os animais), também foram instaladas nos 33km da rodovia Doutor Carlos Botelho 16 passagens aéreas e 12 subterrâneas para facilitar a passagem dos animais. Estas passarelas e túneis ligam o parque a copas de árvores e outras áreas nativas que os animais procuram, evitando que passem pela estrada.

Além disso, a velocidade de 40 km/h nas retas e 20 km/h nas curvas será controlada por radares, principalmente em pontos críticos como na Serra das Macacas. O investimento total de R$ 54,7 milhões também serviu para criação de mirantes para observação de aves e da mata nativa e ainda um ambulatório veterinário para socorrer animais feridos.

Outra novidade é que quem trafega pela SP-250, no trecho entre Sete Barras e São Miguel Arcanjo, precisará parar em portais localizados nas entradas da rodovia. Nestes pontos, o motorista receberá uma ficha que servirá para o controle de tráfico de animais silvestres e de palmito. Tal ficha deverá ser devolvida assim que o motorista cruzar o portal de saída e em caso de suspeitas, o veículo poderá ser revistado.

Caminhões só podem trafegar pelo trecho com cargas de até nove toneladas.