Escola em SP cultiva horta hidropônica e usa alimentos na merenda

668 views

 

Foto: A2img / Du Amorim Além de ajudar na conscientização ambiental dos alunos, a inciativa incentiva a alimentação saudável.

Simples e de baixo custo, a hidroponia consiste no cultivo de vegetais, especialmente hortaliças, em estufas, onde não há solo – ele é substituído por uma solução nutritiva, que supre os nutrientes necessários para o desenvolvimento.

Essa facilidade de acesso permite que o modelo seja implantado em qualquer lugar que tenha luminosidade do sol, incluindo a varanda de casa ou até mesmo de apartamento. Atualmente, inclusive, existem no mercado sistemas hidropônicos projetados para pequenos espaços e com preço bem acessível.

É justamente neste modelo que a instituição de ensino E.E. Professor Tochichico Yochicava, localizada em Suzano, em São Paulo, aposta para engajar seus alunos na conscientização ambiental. O projeto, intitulado “Horta Hidropônica”, ensina os estudantes a realizar o plantio de alimentos que, posteriormente, serão usados na preparação das refeições da escola.

Foto: A2img / Du Amorim No método da hidroponia, os vegetais são cultivados em uma solução líquida com os nutrientes necessários.

Com diversos vegetais, o cultivo é feito em caneletas suspensas e conta com duas caixas d’água e uma bomba simples. Além disso, para garantir o desenvolvimento das plantas, são misturados alguns nutrientes na água.

Atualmente, o projeto permite a colheita de, aproximadamente, 200 pés de alface em 32 dias de plantio. O número de produtos é ainda maior, já que existem outros vegetais vindos da horta que são consumidos diariamente pelos alunos. Dessa forma, além de garantir a conscientização ambiental, a instituição promove e incentiva a alimentação saudável.

Escola sustentável

A escola destaca-se por ações voltadas à sustentabilidade. Atualmente, além da horta, ela conta com um reservatório para guardar água da chuva e depois utilizá-la nos mictórios e lavagem do pátio.

Adicionalmente, no ano de 2012, a instituição iniciou um projeto chamado “Renove”, que busca conscientizar a comunidade local sobre os problemas causados pelo descarte incorreto do óleo de cozinha.

No início, os próprios alunos recolhiam de porta em porta o óleo utilizado pelas pessoas. Hoje a escola possui um ponto de coleta onde os moradores podem levar os recipientes para que sejam destinados adequadamente.

Foto: A2img / Du Amorim A escola se destaca por levar a sustentabilidade ao dia a dia dos alunos e da comunidade.