Animação futurista mostra como seria São Paulo com mais bicicletas e menos carros

496 Visualizações
Trânsito em SP
Foto: mundodasdicas

No dia 17 de fevereiro de 2014, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a cidade de São Paulo teve 137 km de lentidão, o mais alto índice de congestionamento matinal registrado em 2014, superando os 127 km alcançados na última terça-feira (13/02). Embora a situação seja costumeira, a Prefeitura tem divulgado uma animação na qual um futuro melhor é vislumbrado, com mais bicicletas e menos carros circulando pelas vias da metrópole.

Desenvolvido pela Secretaria Municipal da Cultura, pelo Núcleo Paulistano de Animação (NUPA) e Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso (CCJ), o vídeo mostra como a expansão do uso de bikes beneficia as ruas e avenidas com tranquilidade e segurança. Sem a maciça e poluidora presença dos automóveis, mais árvores poderão crescer, contribuindo para a formação de ambientes propícios para fazer com que as pessoas saiam de casa e visitem áreas de convivência ao ar livre.

No entanto, para que o ciclismo atraia cada vez mais adeptos, a produção aponta que o investimento em infraestrutura de qualidade é um requisito essencial. Exemplo disso é que a peça audiovisual exibe ciclovias e ciclofaixas cobertas (para evitar chuvas) e com esteiras nas laterais para facilitar a locomoção de pessoas idosas, no caso de haver subidas íngremes.

Outro mecanismo para aprimorar os centros urbanos seria a utilização de bicicletas capazes de captar energia cinética (gerada pela movimentação dos pedais) e a integração de sistemas para receber a eletricidade criada pelas pedaladas para abastecer o transporte público, possibilitando o desenvolvimento de um metrô sustentável.

Encerrando a apresentação, um retorno brusco a triste e cinzenta realidade, com infindáveis engarrafamentos, buzinas histéricas e o ciclista sem espaços, acuado por veículos. Enfim, fica o convite: “A pedalada do futuro já vai começar. Você não vai se juntar com a gente?”.

Confira o vídeo e saiba como seria São Paulo com menos carros e mais bicicletas: