Pará: Operação do ICMBio encontra pedaços de 19 onças dentro de um freezer

438 Visualizações
Reprodução / Globo Play Suspeito do crime ambiental disse que caçava por hobby.

As imagens entristecem e chocam. Durante uma operação do ICMBio em Curionópolis, no estado do Pará, no dia 26 de agosto, foram encontradas várias partes de onças dentro de um freezer. Ao retirar o material e descongelar, descobriu-se que se tratavam de cinco cabeças de onça pintada, uma de onça parda, cinco crânios de onças e seis peles de felinos. Ao todo 19 onças foram mortas.

Considerada a maior quantidade de grandes felinos caçados que se tem notícia no Brasil, a cena deixou até mesmo os agentes de fiscalização surpresos. “Eu percorro a região há mais de cinco anos, temos mais de um milhão de hectares e nunca vimos nenhum crime parecido com esse”, lamenta Vitor Garcia Neto, agente de fiscalização do ICMbio, em entrevista ao Jornal Liberal, do Pará. Vale lembrar que este felino é um dos muitos animais ameaçados de extinção no país.

O perito Criminal Felipe Sá, integrante do grupo de investigação, acredita que a ação foi realizada por uma quadrilha especializada em tráfico internacional de animais silvestres. “Temos um padrão de corte de cabeça, um padrão de corte de couro, com cabeça até a calda, temos patas e testículos, além de crânios dissecados, que ficam pendurados na parede como troféu”, disse também em entrevista ao Jornal Liberal.

Um dos suspeitos do crime ambiental está preso e disse em depoimento que tinha o costume de caçar. Ele recebeu uma multa de 534 mil reais por matar e mutilar as onças e por manter animais em cativeiro. No local também foram encontradas aves presas em gaiolas, armas e munição

Em nota oficial, o Ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, declarou:

“Estou chocado com as imagens, divulgadas hoje, daquela que foi considerada pelo Ibama como a maior quantidade de grandes felinos caçados já encontrada em uma operação, desde a criação do Instituto. O tráfico de animais silvestres é um crime que atinge a cada um de nós, pois fere nosso direito a um meio ambiente equilibrado. O perigo de extinção da onça pintada aponta, de forma dramática, para a necessidade urgente de aumentarmos, em quantidade e qualidade, a proteção de nossa biodiversidade. O Ministério do Meio Ambiente entende que essa proteção passa, necessariamente, pelo fortalecimento da estrutura de fiscalização do Ibama e do ICMbio, e pela conscientização, através da educação ambiental. Trabalhamos nesse sentido, de forma prática e objetiva, mas guiados pela convicção de que homem, planta e bicho são irmanados na natureza.”