Empresa holandesa planeja construir o 1º parque de diversões sustentável do mundo

Projeto prevê a instalação de turbinas eólicas e painéis solares para captação da energia necessária para movimentar brinquedos e garantir iluminação e serviços em todo o parque

4 de janeiro de 2016
publicado por
Redação

Reprodução / Green Savers O parque de 8 mil m² será o primeiro onde as próprias turbinas fazem parte do entretenimento.

Sinônimo de alegria em todos os cantos do mundo, o parque de diversões esconde um cenário bem distante das luzes e brinquedos que encantam crianças e turistas ao redor do globo: falta de sustentabilidade. Um parque de diversões, por menor que seja, consome uma quantidade elevadíssima de energia elétrica para garantir o funcionamento de brinquedos, áreas úteis e de alimentação, banheiros, administração… Muitos recursos naturais são movimentados para que esta energia saia de hidrelétricas e termoelétricas, por exemplo, e chegue aos parques.

Reprodução / Green Savers O parque terá tema ligado ao ambiente: uma “celebração da contribuição ambiental”.

Este cenário, todavia, tem solução para uma empresa de energias renováveis da Holanda. A Qurrent pretende construir o “1º parque de diversões sustentável do mundo” em parceria com a Jora Entretainment. O projeto, ainda em fase de conclusão, prevê a instalação do parque em uma área de oito mil metros quadrados e a construção de uma infraestrutura de captação de energia eólico e solar para garantir a energia elétrica necessária para o funcionamento completo. Os restaurantes, por exemplo, contarão com painéis de energia solar.

Parque de diversões do futuro?

Além disso, o primeiro parque sustentável do mundo será erguido como um símbolo de que é possível utilizar energias renováveis no dia a dia e, com isso, contribuir para maior conscientização das pessoas. “Daqui a dez anos, a energia eólica será onipresente. Lutamos para estar à frente das coisas e moldar o futuro das energias renováveis”, afirmou Richard Klatten, CEO da Qurrent.

O executivo também reforçou que a ideia é conscientizar o público, mas sem deixar o aspecto lúdico de um parque de diversões. “Criar um ambiente no qual as pessoas possam experimentar as energias limpas de uma forma divertida e educacional pode ser uma destas formas. E não seria engraçado dizermos aos nossos amigos que demos uma voltinha numa turbina eólica verdadeira?”.