Meio ambiente e tecnologia — tudo a ver um com o outro

istock.com / Ekkasit919 Hoje existem diversos aplicativos que une tecnologia e meio ambiente, afim de de fazer com que o país evolua e se torne sustentável.

Tendo em vista as mudanças tecnológicas ocorridas nos últimos anos, é possível afirmar que o Brasil utiliza mal os mecanismos desenvolvidos para aproximar a sociedade da sustentabilidade. Não há investimentos em pontos fundamentais para a mudança de cultura, principalmente na educação, existe um abismo entre a necessidade dos país e o praticado pelos principais setores da sociedade.

As crianças e jovens estão sedentas por informações, desde que essas estejam em um formato agradável à realidade atual. A utilização de mídias sociais, jogos e aplicativos deveria ser o “braço” para alcançar este público que mudou tanto nas últimas décadas e assim atingir o engajamento ambiental que tanto necessitamos. É primordial uma sociedade envolvida com os problemas ambientais tão alarmantes e recorrentes no Brasil, inexiste espaço no contexto atual para lixo nas ruas, rios poluídos, descaso com o descarte de resíduos e outras mazelas que sabemos existir.

O ideal é que as mudanças ocorram inicialmente em um nível local, ou seja, evolver a população com seu quintal, sua rua, seu bairro, sua cidade e consequentemente melhorar os resultados do país. A tecnologia pode e deve ajudar nisso: vemos hoje diversas ferramentas voltadas a itens como futebol, compras, clubes de colecionares, e por que não utilizar essa inteligência para o meio ambiente?

É necessário elevar o nível de importância da questão ambiental e também dos investimentos públicos e privados, permitindo que as novas gerações realizem as ações necessárias para difundir e gerar conhecimento voltados ao tema. Temos espaço para projetos e também material humano capacitado, ou seja, temos uma “ponta solta” e precisamos amarrá-la urgentemente.

Há muitos aplicativos desenvolvidos voltados aos temas meio ambiente e sustentabilidade, por sinal, alguns são muito interessantes, veja abaixo bons exemplos que poderiam facilmente ser utilizados de forma mais ampla para melhorar a qualidade de vida:

Nome: Project Noah

Locais em que funciona: todos os locais

Principal função: incentivar a preservação da fauna e da flora, também promove a influência mútua dos usuários, por meio de atividades lúdicas e compartilhamentos de ações sustentáveis, com informações de plantas e animais nativos do local visitado

Preço: Gratuito

Nome: Manual de etiqueta sustentável

Locais em que funciona: todos os locais

Principal função: disponibiliza diversas dicas de consumo, cidadania e energia, o usuário escolhe o que seguir e o aplicativo demonstra uma árvore que evolui conforme o uso e escolhas.

Preço: Gratuito

Nome: Pollution

Locais em que funciona: 1300 cidades atendidas

Principal função: mede o nível de poluição atmosférica do local onde se está, funciona como um indicador de níveis elevados de poluentes que podem prejudicar a vida da população.

Preço: Gratuito

Nome: Recicle RJ

Locais em que funciona: Rio de Janeiro

Principal função: Utiliza o GPS do smartphone para mostrar um mapa com os locais de coleta seletiva mais próximos da região em que está.

Preço: Gratuito

Nome: Saí desse banho

Locais em que funciona: todos os locais

Principal função: avisa quando é hora de terminar o banho, com o intuito de economizar água, passado o período programado começa a tocar uma música irritante.

Preço: Gratuito

Nome: Bike

Locais em que funciona: Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo

Principal função: O App mostra um mapa com as estações de bicicletas próximas ao solicitante, que dirigindo-se até uma delas utiliza o próprio smartphone para liberar uma bike para utilização.

Preço: a adesão R$ 10,00 e o uso da bike por até 30 minutos gratuito, após R$ 5,00 a cada 30 minutos

Ideias como a destes aplicativos podem revolucionar, mudar a percepção das pessoas em temas delicados, é extremamente necessário o incentivo do governo, das empresas e da população, só assim o engajamento tão esperado será alcançado, fazendo com o que o Brasil evolua.

Adalton França de Oliveira

Pós-graduado em Economia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e em Gestão de Negócios pelo Centro Universitário SENAC, Graduado em Administração pela Universidade de Santo Amaro (UNISA). Atua na área de Desenvolvimento de Negócios da TecBan, empresa proprietária da rede Banco24Horas. Além disso, é membro da ABRACEM e da ABRAES, e possui experiência como professor e conteudista de cursos voltados a Gestão e Administração.