Home > Arquitetura Verde > Megacidade sustentável será construída em Tóquio

Megacidade sustentável será construída em Tóquio

O projeto contará com sistema de transporte submerso, autogeração de energia elétrica e totalmente adaptável às transformações climáticas da Terra

10 de fevereiro de 2016
publicado por
Redação

Kohn Pedersen Fox Associates As instalações devem ser concluídas até 2045.

Tóquio, capital do Japão, mundialmente reconhecida por seus avanços tecnológicos, passará a ser também um modelo de cidade sustentável para as outras metrópoles ao redor do planeta. Trata-se da construção de uma megacidade conhecida como “next-Tokyo”, que está sendo desenvolvida em conjunto pelos arquitetos dos escritórios Kohn Pedersen Fox Associates e Leslie E. Robertson Associates, respectivamente.

O projeto representa o modelo de uma cidade sustentável, “hospedada” em cima do próprio mar, na Baía de Tóquio, e que se adapta às constantes mudanças climáticas que têm acontecido e ainda acontecerão no planeta Terra. Segundo os responsáveis pelo next-Tokyo, a ideia inicial prevê que todas as obras e instalações sejam concluídas até 2045.

Para o Japão, este planejamento representa uma solução definitiva para os problemas que envolvem abalos sísmicos, elevações marítimas e outras manifestações da natureza. Isto porque o país recebe, todos os anos, mais de 1000 eventos de fenômenos naturais e tem um grande histórico recente de desastres que abalaram sua população.

Estrutura da next-Tokyo

De acordo com a apresentação oficial, o projeto conta com um sistema de defesa que funciona como um tampão para proteger todos os seus habitantes e diminuir o alto risco de desastre que existe nas áreas costeiras. O complexo de pequenas ilhas é semelhante a um arquipélago e, ao contrário do que se esperava, next-Tokyo não contará somente com atividades corporativas, sendo preenchida por prédios e imóveis para atender diversas necessidades.

Sobre os pontos de destaque do projeto, vale destacar o funcionamento do sistema de transporte Hyperloop (tubos de vácuo) e túneis submersos. Como o Japão já utiliza o sistema de dessalinização de água, o planejamento trará para a água do mar a funcionalidade de abastecer atividades básicas para a população e até lazer com a criação de piscinas públicas, por exemplo. Os arquitetos trabalharão com uma tecnologia que permita a cidade autogerar sua própria energia elétrica, além de biocombustível e outras atividades.

Para a projeção dos grandes prédios locais, next-Tokyo apresenta uma estrutura ligada à aerodinâmica, no qual o aço e concreto foram escolhidos para as construções. Para se ter uma ideia de segurança e funcionalidade dos edifícios, divulgou-se que o prédio mais alto terá 1.600 metros de altura e contará com apartamentos comerciais, residenciais e outros serviços. Todas as estruturas estarão preparadas para enfrentar as mudanças climáticas e oscilações geológicas locais.