Tecnologia e inovação a serviço do meio ambiente

1.834 Visualizações

Desde a Revolução Industrial a sociedade passa por mudanças significativas, nos diferentes setores, como a produção industrial, a mudança na sociedade, o aumento no número de pessoas nas cidades, o modelo econômico e político.

Poderíamos escrever muitas coisas, positivas e negativas, sobre este evento que é considerado, por muitos estudiosos, um momento de ruptura na sociedade. E foi a partir deste momento de transformação que cada vez mais as tecnologias vêm impulsionando mudanças nas formas de produzir e consumir.

As tecnologias avançaram rapidamente, a partir das décadas de 1950 e 1960, após a II Guerra Mundial, e o modelo capitalista passou a dominar um número cada vez maior de países. Este avanço do modelo também trouxe uma invasão de produtos e serviços que muitas vezes não representavam o modelo de vida de muitas sociedades. Porém, por diversos motivos, a “invasão” capitalista foi avançando e também trouxe sérios problemas para os países, gerando muitos impactos negativos.

© Depositphotos.com / SIphotography Tecnologia e meia ambiente.

Neste início de novo século, o grande desafio das sociedades é transformar muitos dos problemas que foram causados pela própria espécie humana em soluções, mudando-se aspectos como consumo, destinação de resíduos, produção de energia e também urbanização.

Se observarmos, estes temas estão interligados, e cada vez mais grupos de profissionais, seja do setor público ou do privado, têm buscado formas de se diminuir os impactos que nossa sociedade vem causando.

Neste novo século a busca por inovações pode ser um caminho para se solucionar ou pelo menos minimizar nossos impactos no planeta, que são cada vez mais severos e graves. Muitas empresas e centros de pesquisas vêm estudando novas alternativas para se ter uma vida mais saudável e menos impactante, sem se perder de vista a qualidade básica.

Novos sistemas de produção e de purificação da água estão sendo testados em diferentes países, numa busca pela melhoria de um dos bens mais fundamentais da vida e que está se tornando escasso em algumas regiões e mais grave ainda, se tornando monopólio de grupos.

Novos materiais estão sendo utilizados para se produzir bens e tem transformado as cadeias de produção, tornando-as mais eficientes, menos custosas e com grande redução de resíduos, pois grande parte dos materiais pode e são reutilizados e em muitos casos, são biodegradáveis.

As fontes de energia também passam por uma grande mudança, não só nos aspectos de novas tecnologias, mas acessíveis, mas também de inovações em materiais e fontes, como das ondas do mar, dos ventos e nas melhorias nas baterias de produção de energia, cada vez mais eficientes, pequenas e de maior duração (o que está provocando mudanças na questão dos automóveis elétricos, em diversos países).

Juntando-se a isto, as discussões sobre urbanização, modelos de cidades sustentáveis têm trazido uma série de ideias novas e possíveis de serem colocadas em prática, pela disseminação das inovações vias ferramentas de internet e grupos de discussões espalhados pelo mundo.

Consumo mais consciente, mobilidade urbana por meio de transportes públicos e uma novidade, o carro compartilhado. Impostos mais altos para atividades poluidoras, vazios urbanos, formas de especulações, são exemplos de inovações que estão modificando cidades e cidadãos.

São muitos os exemplos de rupturas que estão ocorrendo neste modelo de sociedade que foi criada a partir da Revolução Industrial, que nos trouxe muitas conquistas, mas que precisamos ir adiante, criar novas formas de se viver em sociedade. E nada melhor que o uso das próprias ferramentas do modelo capitalista, tecnologias e inovação para o bem da sociedade.

Isto é possível, há sementes germinando em diversos países e cidades. Vamos plantar a nossa e regar para que ela cresça e floresça em novos tempos, para todos, com qualidade de vida.