Pesquisadores australianos criam solução inovadora para a destinação de sacolas plásticas

605 views
wygd Sacola poluindo o meio ambiente.

Um dos maiores problemas ambientais da atualidade pode se tornar uma grande solução para a indústria. Pesquisadores da Universidade de Adelaide, na Austrália, descobriram uma maneira de transformar as sacolas plásticas em um material extremamente importante. Deste modo, apareceria uma alternativa para tirar esse tipo de resíduo da natureza, diminuindo a sua poluição ao meio ambiente.

O objetivo da pesquisa é produzir nanotubos de carbono usando os sacos plásticos como matéria-prima. Este material é usado em diversas áreas industriais, como a criação de equipamentos eletrônicos, esportivos, baterias de longa duração, dispositivos de detecção, turbinas eólicas, entre outras áreas da pesquisa e desenvolvimento.

Os nanotubos são pequenos cilindros de átomos de carbono com o diâmetro dez mil vezes menores do que o de um fio de cabelo. Eles são altamente resistentes, sendo cem vezes mais fortes que o aço e seis vezes mais leves. Apesar de serem importantes em várias áreas, sua produção é limitada por processos de fabricação extremamente complexos.

“Em nosso laboratório nós desenvolvemos um método novo e simplificado de fabricação com dimensões e formas controláveis, usando um produto de resíduos como fonte de carbono”, explicou o professor Dusan Losic, um dos coordenadores da pesquisa, ao Science Daily.

A ideia inicial partiu de uma estudante de doutorado da universidade que queria achar uma solução para o problema da poluição causada pelas sacolas plásticas. Assim, Tariq Altalhi, outro aluno, combinou a ideia de que qualquer fonte de carbono deveria ser utilizável para a produção de nanotubos, que atualmente só são confeccionados através do etanol.

O processo criado usando o plástico como matéria-prima é muito mais simples que o modelo atual, o que barateia e torna a produção mais eficiente. Outro benefício é que os resíduos de plástico podem ser utilizados sem gerar compostos tóxicos.