Kimberly-Clark lança programa de reciclagem de fraldas

434 views

O Brasil vende 250 fraldas descartáveis por segundo e a maior parte disso vai direto para os aterros sanitários onde vão ficar por até 500 anos. Dados da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec) indicam que mais de 5 bilhões de fraldas foram comercializadas mercado brasileiro em 2009 e quase 8 bilhões em 2014, o que levou o país ao patamar de terceiro maior mercado no mundo. Bom, nem é preciso falar muito mais sobre esse assunto para concluir que este item tão necessário e prático é igualmente um grande inimigo do meio ambiente.

Mas, não vamos falar de notícias preocupantes hoje. Esse texto contém boas notícias e ótimas doses de otimismo e a certeza de que, sim, ainda dá tempo de corrigir a bagunça que estamos causando ao meio ambiente.

É que a Kimberly-Clark, a gigante global de produtos de cuidados pessoais, lançou recentemente o Minha Primeira Reciclagem, programa que vai coletar fraldas utilizadas em escolas da região metropolitana de São Paulo e reciclar os resíduos para que sejam inseridos no contexto da Economia Circular. Em parceria com a Boomera, startup especializada em logística reversa, a Kimberly-Clark usará a tradicional marca Huggies também para levar conhecimento e estimular a conscientização de pais, alunos e escolas e a comunidade sobre a importância da preservação do meio ambiente.

Como funciona

No Minha Primeira Reciclagem, as fraldas utilizadas nas escolas são armazenadas em um local apropriado, coletadas semanalmente pela equipe da Boomera. Uma tecnologia específica da startup elimina os rejeitos orgânicos para que as fraldas possam ser transformadas em matéria-prima para novos produtos. As escolas participantes do programa recebem treinamento sobre o impacto ambiental e a correta conscientização de uso, armazenamento e destinação das fraldas.

O site do programa ainda disponibiliza uma calculadora para que as escolas possam calcular a quantidade de fraldas descartadas anualmente.

Ainda num modelo piloto, abrangerá apenas 11 instituições de ensino e espera reciclar 100 toneladas de fraldas no primeiro ano. A ideia é colher os aprendizados e verificar as oportunidades de melhoria para uma futura expansão em escala.

Esta é uma das iniciativas da Kimberly-Clark pelo compromisso de reduzir o uso de plástico em 50% até 2030 e segue desenvolvendo soluções focadas em materiais renováveis. A dedicação já vem trazendo ótimos resultados. Tanto que, em 2020, a empresa conquistou o marco de aterro zero nas fábricas brasileiras, o que significa que nenhum excedente de produção é descartado em aterros sanitários.
Que cada vez mais empresas possam se inspirar em iniciativas como essas para que possamos reverter os impactos que esses resíduos causam ao meio ambiente!

Fontes: Meio & Mensagem | Recicla Sampa | Exame.invest