Empresa brasileira emite selo de sustentabilidade para websites

345 Visualizações
energia elétrica
Foto: redefonte

No Brasil, de acordo com dados da Locaweb, plataforma especializada na hospedagem de sites, o número de internautas chegou a 77 milhões de pessoas, registrando alta de 143,8% nos últimos seis anos. Sendo assim, à medida que 47% da população está conectada, o número de empresas e entidades investindo em portais, blogs e perfis nas redes sociais também aumentou, exemplo disso é o crescimento 467% do sistema Wix.com, que permite a criação de páginas na rede mundial de computadores. Entretanto, você sabia que até os websites são responsáveis pela emissão de poluição no planeta?

Conforme um estudo realizado pelo Greenpeace, a manutenção dos mais 30 milhões de data centers disponíveis no mundo já consome quase 700 bilhões de quilowatt-hora e, no ano de 2020, poderá superar as demandas energéticas de países como Alemanha, Brasil, Canadá e França juntos. Deste modo, a produção de eletricidade precisa ser constantemente elevada, provocando a exploração de usinas de carvão, pois as termelétricas são as fontes de abastecimento mais populares atualmente.

Por isso, considerando o desenvolvimento ecologicamente correto tão importante quanto a evolução tecnológica, Cecília Vick criou a empresa GreenClick, visando neutralizar as dissipações de dióxido de carbono (CO2) originadas pelos servidores que hospedam os portais. Através de ferramenta que audita o número de pageviews do endereço eletrônico, a startup estipula quantas árvores devem ser plantadas para mitigar os danos ambientais relacionados ao funcionamento das páginas.

Greenclick
Foto: Divulgação

“A ideia é termos 50 mil árvores plantadas até o final de 2014”, projeta Cecília, uma vez que cada exemplar neutraliza aproximadamente 7 kg de dióxido de carbono e a meta da organização é dar conta de 350 toneladas de CO² em um ano. Posteriormente, com o plantio de árvores nativas em Apucarana, no Paraná, atividade executada e fiscalizada por biólogos do Instituto Brasileiro de Florestas (IBF), o empreendimento concede o Selo de Certificação Sustentável.

Para comprovar o prosseguimento das ações reflorestamento, a GreenClick exibe fotografias, mapas e status atualizados diariamente de cada muda cultivada. “Sabemos que o Selo de Certificação é uma parte de ações amigas do meio ambiente. O Selo pode motivar as corporações a aderirem a outras ideias sustentáveis”, concluiu Cecília Vick.