Conheça o copo ecológico e seus benefícios

7.205 views
Copo ecológico
Foto: facebook

Estima-se que cerca de 100 milhões de toneladas de materiais plásticos são consumidos no mundo todo ano. Deste valor, 80% são descartados em aterros sanitários, contribuindo para a poluição ambiental e morte de animais. É neste contexto que a implementação e utilização de copos ecológicos vêm se tornando importante aliada na luta contra os problemas ambientais.

Conhecido como ecopo, o produto que se decompõe em até 15 meses – o plástico demora até 400 anos – é baseado no conceito dos três R’s, que visam reduzir, reciclar e reutilizar, permitindo assim contribuir para a diminuição da quantidade de lixo em aterros.

Ecológico, prático e biodegradável, o copo é feito com papel proveniente de madeiras de reflorestamento, produzido com 100% de fibras virgens – daí a cor parda –, e dispensa o uso de produtos químicos. Na sua composição ainda são utilizados 87% de celulose e 13% de polietileno biodegradável.

Para seguir essa linha 100% ecológica, o produto pode ser desenvolvido apenas em tamanho único, de 85 ml. O tamanho também colabora para evitar o desperdício de água. Apesar de todo esse conceito e cuidado na fabricação, o fabricante garante que não há alterações no gosto ou no cheiro da água.

Quem o vê pela primeira vez pode sentir um pouco de insegurança, já que o copo ecológico parece um envelope e precisa ser montado manualmente. No entanto, o material é resistente e impermeabilizado internamente, o que permite beber qualquer tipo de líquido. A única ressalva é que a bebida não seja algo muito quente, já que há risco de se queimar.

Copo ecológico
Foto: adjorisc

A embalagem em envelope, aliás, é uma tática para ocupar menos espaço na hora do armazenamento e transporte. Dessa forma, há, também, a diminuição da quantidade de gases poluentes emitidos durante o transporte, já que com mais espaço, menos viagens são necessárias.

Além de higiênico, o copo pode ser reutilizado quantas vezes desejar e também pode ser destinado a reciclagem. Em algumas empresas há, inclusive, a possibilidade de separar o papel do polietileno.