Conheça o conceito de pecuária sustentável

1.148 Visualizações
Gados
Foto: culturamix

A pecuária é uma atividade econômica em importante expansão. Com o aumento da população e a melhoria da qualidade de vida em países populosos, a demanda por carne bovina avança a todo vapor. No Brasil, também avançam os pastos, principalmente nas regiões Norte e Centro-Oeste. E, na esteira deste modo de produção, propagam-se milhares de hectares de áreas desmatadas, desequilíbrio ambiental e geração de gases provocadores do efeito estufa.

Os impactos causados pela pecuária vão muito além das nossas fronteiras, acendendo um alarme global. Segundo divulgado em setembro pela Agência das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO, da sigla em inglês) 14,5% das emissões dos gases do efeito estufa têm origem na pecuária. Desses, 45% são atribuídos à produção e processamento de alimento, 39% produzidas pela digestão dos animais e 10% pela decomposição do estrume. O restante resulta do processamento e transporte dos produtos animais.

Com números tão alarmantes, não surpreende que existam em todo o mundo grupos de trabalho em busca de opções para uma pecuária mais sustentável. Conceitualmente, a pecuária sustentável reúne governos, empresas, entidades privadas, ONGs e universidades para discutir soluções e propor novos modelos de produção. Além das questões ambientais e o aumento da demanda por carne, os desafios das mudanças climáticas também geraram uma forte pressão por inovações tecnológicas na área.

Pasto
Foto: construcao

No Brasil, o Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável (GTPS) conta com o apoio do Governo Federal e, desde 2009, desenvolve estudos e ações que têm o objetivo específico de desenvolver uma pecuária capaz de produzir com mais eficiência e menor impacto ambiental. Hoje, a pecuária é a principal responsável pelo processo de desmatamento da Amazônia e a prática que mais ameaça o bioma do Cerrado.

De forma gradual, o GTPS tem buscado analisar os sistemas de produção, ecossistemas, legislações e realidades socioeconômicas locais de cada uma das zonas produtoras de carne do país, buscando soluções sob medida. Um trabalho delicado, de grande importância para a preservação dos ecossistemas brasileiros e para a saúde de todo o planeta.