Como funciona a energia solar e quais as suas vantagens e desvantagens

2.465 views
Foto: Depositphotos

Em 1893, o físico francês Alexandre-Edmond Becquerel observou pela primeira vez o fenômeno do “efeito fotovoltaico”. Esse efeito demonstra a conversão de energia luminosa em energia elétrica quando incidida em materiais semicondutores. É graças a esse efeito que foi possível desenvolver os painéis solares que geram a energia solar.

A energia do sol pode ser aproveitada de duas maneiras. A primeira é fotovoltaica e utiliza painéis que possuem células fotovoltaicas. Essas células nada mais são do que dispositivos semicondutores com a propriedade de captar a luz do Sol e transformá-la em energia elétrica de forma direta.

A segunda é térmica, que utiliza o calor do sol para aquecer a água que se transforma em vapor, em um procedimento semelhante ao das termoelétricas. Com esses dois procedimentos é possível utilizar essa energia em casa tanto na rede elétrica como para aquecimento da água, e em usinas solares.

Muitos ambientalistas defendem o uso desse tipo de energia pois ela é 100% limpa, ao contrário da maioria das outras fontes produtoras. Ela é renovável já que tem o sol por fonte e, com a tecnologia atual, é possível armazenar a energia gerada para os períodos noturnos.

Além dessas vantagens, essa energia também ocupa pouco espaço e tem baixa necessidade de manutenção. Os painéis e placas usados na produção são resistentes e não precisam de linhas de transmissão, portanto, essa tecnologia também é bastante acessível em lugares remotos.

Sua grande desvantagem é o fato de as placas serem caras e exigirem um investimento inicial grande, mas que será recompensado já que a redução nas contas com energia pode chegar a 80%. Ela também tem baixa capacidade de armazenamento, sendo mais eficaz para uso doméstico, e possui muita dependência climática, por isso, em lugares com baixa incidência de sol seu rendimento não é bom.

Mesmo com algumas desvantagens, a energia solar é uma opção importante para ocupar um espaço maior na matriz enérgica mundial. Sua tecnologia está sempre sendo aprimorada e provavelmente, em breve, seus custos de instalação poderão ser reduzidos.