Reciclagem de pilhas e baterias usadas

8.551 views
pilha velha
Foto: Super Abril

As pilhas e baterias são constituídas de diversos metais maléficos à saúde do ser humano e que poluem o meio ambiente, como mercúrio, chumbo, zinco e outros. São gerados ao ano no Brasil mais de 1 bilhão de pilhas e cerca de 500 milhões de baterias de celular, números que aumentam a cada dia.

Esses objetos são hoje um problema ambiental que se tenta resolver, pois a maioria é jogada no lixo comum e vai para aterros sanitários ou lixões a céu aberto.

O Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) lançou em 2000 uma resolução que regulariza o descarte e gerenciamento de pilhas e baterias. De acordo com essa lei, as pilhas produzidas no país devem conter quantidades mínimas de metais. O problema é que não há um bom manejo do material nos aterros sanitários, o que torna pilhas e baterias perigosas. Além disso, há muitas pilhas vendidas fora do padrão, são as chamadas “baterias ilegais”, que são originadas de contrabando, sem nenhuma segurança de que elas acompanham as medidas do Conama.

No Brasil, a reciclagem de pilhas e baterias usadas ainda é baixa, pois é comum o descarte desses materiais em lixo comum. Além disso, o processo de reciclagem destes resíduos tem um custo alto, a reciclagem de 10 toneladas, por exemplo, custa cerca de R$ 1 mil.

Entenda como é feita a reciclagem de pilhas e baterias usadas:

Pilha
Foto: malko

• Primeiramente é removida e lavada com água a cobertura plástica que envolve as pilhas e baterias, para assim eliminar os metais. Depois, essa parte plástica é reciclada como um plástico comum;

• A parte metálica que ficou é triturada até virar um pó, cujo pH é neutralizado para minimizar as agressões aos humanos. Este pó é direcionado para um filtro para ser prensado e depois seco;

• Na próxima etapa é realizado um teste para identificar o metal predominante na composição da pilha, essa identificação irá definir a cor do produto final;

• Este pó finalmente é direcionado a um forno com temperaturas acima de 1300°C, originando um óxido metálico inofensivo que será vendido para indústrias que fabricam fogos de artifício, pisos cerâmicos, tintas e vidros.

Para aumentar a consciência da população para reciclagem de pilhas e baterias é necessário um número maior de campanhas de orientação e destino de postos de coleta. Além disso, uma legislação que incentive e eduque a população para os perigos que a contaminação das pilhas e baterias pode causar.