Temer abre 72ª assembleia geral da ONU falando sobre desmatamento da Amazônia

681 Visualizações
ONU Presidente Michel Temer reafirmou compromisso do Brasil com o desenvolvimento sustentável.

Nesta terça-feira, 19 de setembro, o presidente Michel Temer discursou na 72ª assembleia das Organização das Nações Unidas (ONU), que acontece em Nova Iorque, abrindo a série de debates a respeito da Amazônia. Como tradicionalmente ocorre, a autoridade brasileira foi responsável por iniciar as discussões relacionadas à conservação da Floresta Amazônica e seus problemas.

Dentre os trechos mais importantes do discurso, o presidente falou sobre a diminuição de mais de 20% do desmatamento da Amazônia Legal — estatística levantada no estudo redigido pelo Instituto do Homem e meio Ambiente da Amazônia (Imazon), no mês passado —, que quebrou uma curva de crescimento de cinco anos.

“O Brasil orgulha-se de ter a maior cobertura de florestas tropicais do planeta. O desmatamento é questão que nos preocupa, especialmente na Amazônia. Nessa questão temos concentrado atenção e recursos”, pontuou Temer.

Vale destacar que a declaração foi feita após o governo ser duramente criticado por determinar a extinção da Renca (Reserva Nacional de Cobre e Associados) há algumas semanas. Na ocasião, ONGs e ambientalistas questionaram o presidente de realizar a ação (que causará impactos no meio ambiente) por interesses paralelos.

Outro evento importante da semana foi o jantar que aconteceu na segunda-feira, 18, com a presença da autoridade brasileira e o presidente norte-americano Donald Trump, que assumidamente é contra os acordos e políticas do meio ambiente. Apesar da grande expectativa sobre o encontro, os governantes se reuniram para apenas discutir a situação da Venezuela.

Sobre a Agenda 2030, Temer foi enfático ao reafirmar o compromisso do Brasil com o desenvolvimento sustentável. “O compromisso do Brasil com o desenvolvimento sustentável é de primeira hora. Permeia nossas políticas públicas e nossa atuação externa. Na presidência da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, por exemplo, elegemos a Agenda 2030 como eixo de nossas atividades. Em todas as frentes, o Brasil procura dar sua contribuição para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, explanou o presidente.