A relação da caça esportiva com a extinção de animais

2.071 views
Caça esportiva
Foto: veja

A prática de perseguir e matar animais em busca de comida, entretenimento ou comércio, pode ser considerada uma atividade ilegal ou regulamentada, variando de acordo com a espécie, com a época do ano e com o Estado. A caça esportiva, ao contrário de algumas outras, não visa à obtenção de alimentos para subsistência, mas sim a continuação de “tradições”.

A prática é bastante comum nos Estados Unidos, França, Itália e África, além do Brasil. Na internet, é possível encontrar sites de agências que vendem pacotes de caça esportiva de animais em países africanos. Na China, a atividade também se tornou bastante comum e atrai cada vez mais adeptos. As expedições podem ser organizadas por meio de um clube virtual.

No Brasil, a prática estava proibida permanentemente até que fossem feitos estudos mais completos que a justificassem. Nesse sentido, o governo e os órgãos responsáveis permitiram uma mudança na regulamentação.

Recentemente o Ibama liberou a caça ao javali-europeu em todo o território, uma espécie exótica invasora, a fim de controlar sua população, por meio da Instrução Normativa nº 3, de 31 de janeiro de 2013.

Caça x extinção

Esse tipo de caça vem sendo alvo de protestos por todo o mundo. Isso porque, é considerada uma das principais responsáveis pela degradação do meio ambiente e extinção dos animais.

No Brasil, mais de 600 espécies se encontram nesse estado. Na África do Sul a situação também é alarmante. De acordo com a Associação de Proprietários de Rinocerontes, estima-se que em oito anos os rinocerontes podem ser extintos.

Caça esportiva
Foto: fct

Além disso, a atividade degrada o ambiente em geral, com contaminação acústica e dos solos, além da abertura de estradas e trilhos florestais – quando a caça é intensa e mais praticada pela sociedade, novas trilhas se abrem, provocando problemas à vida natural em determinados pontos.

A caça esportiva é também a responsável por determinadas doenças. Nos EUA estima-se que as zonas de caça contribuem para o alastramento da Doença do Desgaste Crônico (CWD, Chronic Wasting Disease). Outro risco está relacionado com a ingestão da carne do animal caçado, que pode permitir a transmissão de parasitas e manifestação de doenças e pragas.