O impacto ambiental provocado pelos cemitérios de navios

1.820 views
© Depositphotos.com / shanin Restos de um navio.

Quando um navio está velho demais para navegar ou ultrapassado pelas novas tecnologias, ele é atracado em praias distantes para ser consumido pelo vento e chuva ou desmontado por trabalhadores locais. Essas praias, lotadas de velhas embarcações corroídas pela maresia, são chamadas de cemitérios de navios.

Os cemitérios de navios existem em diversas partes do mundo, mas são mais comuns em países pobres, onde a mão de obra é barata e o impacto ambiental nem sempre é considerado se existir a possibilidade de renda para a população, como na Índia, onde fica o maior desmanche de embarcações do mundo.

Nem sempre limpos, os navios parados na praia indiana de Alang não são seguros para a saúde humana e para o meio ambiente. Alguns, utilizados para carregar óleos e outros produtos, impregnam o ar e as águas de substâncias tóxicas. Algumas dessas substâncias fazem parte da própria estrutura da embarcação, pois são usadas em sua fabricação. Além disso, os trabalhadores não utilizam nenhum equipamento de segurança, estando sujeitos a acidentes e doenças.

Outro problema é o descarte dos resíduos retirados do navio. Os trabalhadores simplesmente enterram tudo que não pode ser vendido na areia das praias. Com as chuvas, resíduos perigosos são levados para rios e para o mar, contaminando tudo que estiver por perto. Ferrugem, detritos de ferro e aço e sucata ficam espalhados pelos cemitérios.

Em um país onde milhões de pessoas vivem abaixo da linha pobreza, trabalhar em cemitérios de navios é uma alternativa aos moradores de Alang, assim como em diversos países que sofrem com o mesmo descaso.

Cemitérios de navios pelo mundo

Não é somente na Índia que estes enormes barcos são abandonados. Diversos locais do mundo abrigam as carcaças de navios antigos e passam pelos mesmos problemas ambientais. Conheça alguns:

Porto de Noaudhibou (Mauritânia) – No porto desse pequeno país Africano, mais de 300 navios foram abandonados desde 1980.

Mo’ynoq (porção ocidental do Uzbequistão) – No Uzbequistão, os navios não ficam mais atracados na água. Com a recessão do mar Aral, neste cemitério de navios, os barcos abandonados ficam sobre a areia.

Costa dos Esqueletos (Namíbia) – Neste local, uma grande quantidade de ossadas de baleias divide espaço com os navios deixados para trás, alguns deles, quase completamente enterrados na areia.

Staten Island (Condado de Richmond, Nova York) – Um dos poucos cemitérios de navios em grandes cidades, Witte Marine Scrap Yard, abriga diversas embarcações abandonadas ao longo da costa de Nova York.

Landévennec (França) – Neste local foram depositados os navios militares que já não serviam à marinha francesa.

canoafurada Baía de Guanabara, RJ.

Pátio para navios quebrados em Gadani (Paquistão) – O local é considerado o terceiro maior cemitério de navios do mundo e já esteve em primeiro lugar, na década de 80, quando a reciclagem era uma atividade lucrativa para o país.

Baía de Guanabara (Brasil) – 52 carcaças de navios e barcos permanecem abandonadas na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. Apesar dos esforços para identificar os donos, a marinha ainda não conseguiu retirar as embarcações da região, deixando o local sujeito a contaminações.