Milhares de tartarugas são resgatadas em um cativeiro nas Filipinas

539 views
Reprodução / TurtleConservancy.org Mesmo com esforços dos especialistas, algumas espécies não sobreviveram após o resgate.

Durante seis meses, milhares de tartarugas raras foram mantidas em cativeiro nas Filipinas em péssimas condições de sobrevivência. Aparentemente armazenadas sem comida e água, havia risco de extinção da espécie. Em junho, no entanto, uma ação do Programa de Conservação das Tartarugas Philippine Freshwater resgatou os animais.

Ao todo, eles encontraram mais de quatro mil “tartarugas de água doce” vivas –
e 90 mortas – na cidade de Bataraza, perto do extremo sul de Palawan. No resgate, também foram encontradas outras espécies, como 3.831 “tartarugas de floresta Palawam”, 160 “tartarugas folha” e 25 “tartarugas de caixa do sudeste asiático”.

Após a ação, os animais foram transferidos para um centro de resgate de crocodilos em perigo, na capital provincial de Puerto Princesa, nas Filipinas, o único local na ilha capaz de abrigar um número tão elevado de espécies.

Devido às condições precárias, muitos dos animais resgatados sofriam com doenças e lesões, fazendo com que os veterinários trabalhassem noite e dia pata salvá-los. Desde que foram resgatadas, cerca de 360 tartarugas morreram e outras 230 ainda estão em tratamento. O restante foi lançado de volta na natureza.

As “tartarugas folha” resgatadas estão na lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza. Elas são consideradas “quase ameaçadas”. Já as “tartarugas de caixa do sudeste asiático” são consideradas “vulneráveis” pela mesma organização.

Tartarugas seriam vendidas

De acordo com um comunicado da polícia, existem suspeitas de que as tartarugas estavam destinadas aos mercados de Hong Kong e da China, onde são procuradas para alimentação, produção de artesanatos e, em alguns casos, até mesmo como animais de estimação.

O guarda do armazém foi interrogado pela polícia, mas não foi detido. Já o proprietário do armazém continua foragido. Vale lembrar que, nas Filipinas, manter em cativeiro ou negociar tartarugas florestais Palawan é contra a legislação, sob pena de prisão e multa.