Mais de 1.170 espécies podem desaparecer do planeta

372 Visualizações
Stockphoto.com / MHGALLERY Elefantes integram as espécies que têm sofrido pro causa da caça.

Em 03 de março o mundo celebra o Dia Mundial da Vida Selvagem. É uma data na qual as pessoas são incentivadas a pensar na sua relação com a biodiversidade e nas formas de protegê-la. Este ano, o tema da reflexão é “O futuro da vida selvagem está em nossas mãos”.

De acordo com as Listas Nacionais Oficiais de Espécies Ameaçadas de Extinção, 1.173 espécies da fauna e 2.113 da flora correm o risco de desaparecer do planeta. Outro dado é que muitos animais silvestres perdem a vida em atropelamentos. Cerca de 475 milhões deles morrem todos os anos, o equivalente a mais de 15 animais por segundo, conforme dados do Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE).

Entre os animais que mais sofrem com atropelamentos estão os pequenos vertebrados (sapos, cobras e aves de menor porte), 90%. Os demais são animais de médio porte ( macacos e gambás) e grande porte (antas, lobos e onças).

Em 2015, a Organização das Nações Unidas alertou para o tráfico de animais, que tem crescido de maneira assustadora. Veja alguns números divulgados:

– Elefantes mortos todos os anos em África: 20.000 a 25.000
– Declínio da população de elefantes de floresta entre 2002 e 2011: 62%
– Número rinocerontes caçados em 2014 na África do Sul (um rinoceronte morto a cada oito horas): 1.215
– Número de chimpanzés mostos nos últimos 14 meses: 220
– Número de orangotangos mortos nos últimos 14 meses: 106
– Número de gorilas mortos nos últimos 14 meses: 15
– Número total de ararinhas-azuis existentes em todo o mundo: 80