A geometria milimétrica das plantas e a sequência Fibonacci

2.366 Visualizações

Pode não parecer, mas na natureza todos os pontos em que cada ramo, folha, caule, raiz ou pétala crescem foram estabelecidos de acordo com leis fixas e medidas precisas da geometria sagrada. Tanto nas plantas, como nos animais e seres vivos, existem padrões geométricos que são chamados de sequência de Fibonacci.

Essa sequencia foi descrita pela primeira vez pelos antigos matemáticos indianos centenas de anos antes do nascimento de Cristo, mesmo assim ela recebeu o nome do matemático italiano Leonardo de Pisa, mais conhecido como “Fibonacci”. A introdução dessa sequência no mundo ocidental foi a partir do livro de Fibonacci “Liber Abaci”, publicado no início do século 13.

É fácil compreender a sequência de Fibonacci, pois cada número é criado pela soma das duas anteriores, por isso, a partir de 1, 1, 2 ,3 ,5 ,8 ,13 ,21 … e continua até ao infinito. É interessante notar que até a colocação das folhas ao longo de uma haste é regida pela sequência de Fibonacci, assegurando que cada folha tenha um acesso máximo à luz solar e a chuva.

E os exemplos na natureza não param. Algumas plantas possuem uma geometria mais acentuada do que outras, como a pinha, girassol, abacaxi, repolho roxo e cacto.

Divulgação.
Divulgação Agave angustifolia
Divulgação Pinha
Divulgação Camélia
Divulgação Cactus cérebro
Divulgação Hoya Pubicalyx
Divulgação Drosophyllum lusitanicum
Divulgação Folha da Vitória Régia
Divulgação Lobelia deckenii
Divulgação Sedioides ludwigia
Divulgação Pelecyphora aselliformis
Divulgação Repolho roxo
Divulgação Dália
Divulgação Aloe polyphylla
Divulgação Cactus ‘Templo de Buda’
Divulgação Brócoli Romanesco