Conheça os animais em extinção na Mata Atlântica

30.902 Visualizações

A Mata Atlântica é uma grande extensão vegetal localizada no Brasil, Paraguai e Argentina. No território nacional ocupava aproximadamente 17 estados brasileiros, mas hoje está presente em apenas 104 mil km², que se estende pelos estados de Goiás, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Entre as cinco florestas com maior biodiversidade do mundo, hoje a Mata Atlântica sofre com o corte ilegal de árvores, especulação imobiliária, tráfico de animais e poluição ambiental, o que tem provocado grande risco de desaparecimento das espécies.

Onça Pintada (Panthera onça)

A onça é um felino carnívoro que tem grande poder de caça. Ela pode comer mais de 2,5 kg de carne por dia, chega a medir 90 centímetros de altura, 2,10 metros de comprimento e seu peso varia, chegando a 150 kg. Vive em meio as margens de rios para caçar antas, gado de fazendas entre outros animais de grande porte. É um animal muito forte e veloz, e sua expectativa de vida varia entre 10 e 20 anos.

Onça
Animal ameaçado de extinção. Foto: clicrbs

Arara Azul (Anodorhynchus hyacinthinus)

A Arara Azul é a maior da família das araras. Pode chegar a medir de 100 a 120 centímetros. Alimentam-se de frutas, nozes, folhas e sementes, e tem um bico forte para quebrar cascas de coco, por exemplo. Vivem em bando de 10 a 30 aves e quando acasalam, mantém o mesmo parceiro por toda a vida.

Arara Azul
Foto: essaseoutras

Mico-leão-dourado (Leontopithecus rosália)

O Mico-leão é um mamífero pertencente aos primatas. Seu peso não chega a 1 kg e mede cerca de 30 centímetros, mas seu rabo pode medir até 40 centímetros. Quando em cativeiro, pode atingir somente 15 anos de idade. Tem o costume de viver em grupos de no máximo sete animais, em áreas de 60 hectares, porém esses animais já foram encontrados sozinhos e em áreas bem pequenas, por consequências da perda de seu habitat.

Mico leão dourado
Foto: 83713276@N03

Tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla)

Conhecido também como “papa-formigas”, o Tamanduá é um mamífero solitário e cauteloso. Capaz de ingerir 30.000 insetos por dia, esse animal tem garras fortes capazes de cavar formigueiros e cupinzeiros, os quais coloca seu focinho e leva os insetos à boca pela língua. Seu pelo é espesso e inflamável, por conta disso está em extinção pelas diversas queimadas em seu habitat.

tamandua-bandeira
Foto: guppiecat

Tatu-canastra (Priodontes maximus)

Esse é um dos maiores tatus existentes, chegam a medir aproximadamente 1,5 metros. Quase não tem pelos, pois seu corpo é coberto por uma carapaça com bordas amareladas. Suas garras o protegem mais que seu próprio corpo. Elas podem medir 20 centímetros e, além de servirem como defesa dos predadores, ajudam a cavar cupinzeiros, para a alimentação.

tatu-canastra
Foto: ferrebeekeeper

Jaguatirica (Leopardus pardalis)

Conhecida como gato-do-mato, a Jaguatirica é um animal carnívoro e considerado um dos maiores felinos do mundo, com comprimento de 1,40 centímetros. Sua expectativa de vida é de, no máximo, 20 anos. Possui hábitos noturnos e se alimenta de animais menores como aves e macacos. Utilizam suas grandes unhas no momento da caça, as quais são afiadas em cascas de árvores. Sua fêmea sempre expulsa o macho após o acasalamento e os filhotes já nascem com cerca de 90 kg. Apesar de sua caça ser proibida, a Jaguatirica está em extinção pelo uso de sua pele.

Jaguatirica (Leopardus Pardalis)
Foto: matteotarenghi

Saiba mais sobre os animais em extinção acessando uma categoria que aborda o tema: https://pensamentoverde.com.br/animais-em-extincao/