Características da bacia hidrográfica do rio São Francisco

9.025 Visualizações

A bacia do rio São Francisco é uma das doze regiões hidrográficas do Brasil, e possui grande importância para o país não somente pelo volume de água que é transportado, mas pelo potencial hídrico que pode ser aproveitado. A bacia abrange uma área de drenagem de cerca de 640 mil Km², o que corresponde a 8% do território nacional, percorrendo 2.830 km em sete estados brasileiros e atingindo mais de 521 municípios.

Rio São Francisco
Foto: pacgov

A bacia é formada pelo rio São Francisco, o principal curso d’água, e seus afluentes – aproximadamente 168 –, estendendo-se pelas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Nordeste do Brasil, sendo a principal fonte de água doce na última citada.

Os principais afluentes em Minas Gerais são os rios: Paraopeba, Abaeté, das Velhas, Jequitaí, Paracatu, Urucuia, Verde Grande, Carinhanha, Corrente e Grande.

Durante muito tempo acreditou-se que a sua nascente fosse a Serra da Canastra, no município de São Roque de Minas, em Minas Gerais. Mas na verdade, sua nascente real está localizada na cidade de Medeiros, também em Minas Gerais. O rio atravessa o estado da Bahia, fazendo divisa ao norte com Pernambuco, e também dos estados de Sergipe e Alagoas, por fim desaguando no Oceano Atlântico. A área da bacia ainda engloba parte do estado de Goiás e do Distrito Federal.

Rio São Francisco
Foto: 14323530@N05

As regiões por onde passa o rio São Francisco possuem as condições naturais das mais diversas, podendo ser encontrados biomas como a Mata Atlântica (na Serra da Canastra – MG), o cerrado (entre o sudoeste baiano e Minas Gerais), a caatinga (nordeste baiano), o mangue e vegetação litorânea nas áreas de transição no Baixo São Francisco (Alagoas e Sergipe). Entretanto devido ao adensamento populacional próximo à bacia do rio São Francisco, principalmente na região metropolitana de Belo Horizonte, estes biomas encontram-se ameaçados.

Atualmente há cinco usinas hidrelétricas presentes na bacia do rio São Francisco: Paulo Afonso (BA), Três Marias (MG), Xingó (AL/SE), Sobradinho (BA/PE) e Itaparica (PE). Além do uso dos seus recursos hídricos para geração de energia elétrica, existe na região a prática da pesca e irrigação de plantações. A ocupação econômica da região também engloba a atividade mineradora, siderúrgica, industrial, agrícola e pecuária.

A precipitação média anual na bacia é de 1.036 mm, variando em cada região, como desde 600 mm no semiárido nordestino – entre Sobradinho e Xingó (BA) – até mais de 1.400 mm nas nascentes – Alto São Francisco (MG).

As características da bacia hidrográfica do rio São Francisco são únicas e nos levam à comparação com outros rios famosos de suma importância, que hoje o tornam conhecido também como “Nilo brasileiro”. Ambos possuem algumas similaridades, como estarem geograficamente localizados em regiões de clima árido, beneficiando as regiões onde passam.