Taiwan proíbe o consumo de carne de cães e gatos

401 views
© Depositphotos.com / pyotr021 Medida ainda divide opiniões, pois carne desses animais integra pratos locais.

A polêmica sobre o consumo de carne de animais domésticos parece ter ganhado mais um capítulo importante. Segundo a imprensa internacional tem noticiado nesses últimos dias, Taiwan está decidido a se tornar o primeiro país asiático a proibir o consumo da carne de cães e gatos.

De acordo com os novos termos da Lei de Proteção aos Animais do país, o taiwanês que comer esse tipo de carne estará sujeito a uma multa de até 250 mil dólares taiwaneses (o equivalente a quase 23 mil reais), enquanto a punição para crimes de crueldade ou abate destes animais podem levar o sujeito a cumprir uma pena de dois anos de prisão e multas que podem chegar a casa dos dois milhões da moeda local.

Além disso, a nova lei pode fazer com que o indivíduo se submeta a penalizações ainda mais pesadas, de acordo com a gravidade do crime, fazendo com que o reincidente seja submetido à condenação de cinco anos e até ser publicamente envergonhado, tendo seus nomes e fotos publicadas pelo governo.

Medida ainda gera discussões

Em conjunto às ações, o novo código de defesa dos animais ainda criminalizou a atividade de “fazer caminhadas” com animais de estimação em que a pessoa esteja dentro de carros e motos.

Um dos motivos para as grandes mudanças acontecerem no país está no fato de a presidente Tsai Ing-wen ser um amante declarado de gatos, o que ficou ainda mais claro na campanha que a levou ao cargo (quando pousou para diversas fotos com os seus animais). Ing-wen ainda adotou três cães-guias aposentados em 2016.

O tema tem provocado discussão entre os taiwaneses, já que a carne de cães e gatos faz parte de alguns pratos da culinária local, ainda que não sejam tradicionalmente consumidos com frequência. No passado, um estudante foi condenado a dez meses de prisão por matar dois gatos, o que gerou grande indignação e uma série de protestos de ativistas ambientais.

Vale salientar que a emenda ainda não foi assinada oficialmente pela presidente, mas pode e tem tudo para se confirmar ainda neste mês de abril.