Nova York transforma ferrovia abandonada em parque público elevado

O High Line, com extensão de 2,3 km, proporciona áreas de repouso, lazer e prática de esporte, abriga 300 espécies de plantas e possui até lojas e galerias de arte

10 de outubro de 2013
publicado por
Henrique Almeida
High Line - NY

Foto: Divulgação.

Com aproximadamente 87 km² e mais de 1,5 milhão de habitantes, a ilha de Manhattan é considerada como um dos grandes centros urbanos de Nova York (EUA). Porém, assim como toda metrópole, necessita de espaços destinados à natureza para amenizar os danos causados pela emissão de substâncias poluentes. Por isso, em 1999, membros da comunidade local protestaram para que uma ferrovia suspensa fosse transformada numa área de lazer, assim foi criado o parque público linear High Line.

A via férrea de 2,6 km foi construída ainda na década de 30 e colocada em desuso a partir de 1980, situação que atraiu indivíduos relacionados a atividades ilegais e fez com que a prefeitura nova-iorquina propusesse a demolição das estruturas em 1999. Entretanto, como resposta, no mesmo ano Joshua David e Robert Hammond, sem qualquer envolvimento com arquitetura e planejamento, fundaram a Friends of the High Line, promovendo, em uma campanha, a conversão do espaço num lugar de repouso, contato com meio ambiente e prática de esportes.

Uma mudança na lei de Nova York, tornando o acesso do lugar livre ao público, foi o primeiro triunfo dos rapazes. Após o debate entre a sociedade e as autoridades da cidade, o governo municipal, em conjunto com a organização comunitária dos “amigos do High Line”, realizou o Concurso de Ideias, em 2003, no qual participaram 720 pessoas, compondo equipes de 36 países, e a Seleção de Design, em 2004, disputada por 52 times e vencida pelo projeto da empresa do designer James Canto Field e do escritório de arquitetura Diller Scofidio + Renfro.

High Line - NY

Foto: Divulgação.

Propriedade de NY, o empreendimento, com as primeiras duas fases da construção concluídas entre 2009 e 2011, já conta com 2,3 quilômetros de extensão. Contudo, a terceira parte da obra está programada para terminar em 2014, expandindo ainda mais a área do parque. Anteriormente sem utilização, a nova versão da ferrovia contabiliza algo em torno de 4 bilhões de reais em investimentos e abriga diversas galerias de arte e lojas conceituadas.

Sob a manutenção do Departamento de Parques e Recreação de Nova York (New York City Department of Parks & Recreation), órgão subordinado à Prefeitura, o espaço possui cerca de 300 espécies de vegetais, como gramíneas, arbustos e árvores, e gerou mais de 12 mil empregos. Com vista para o rio Hudson, o High Line foi visitado por 8 milhões de pessoas desde sua inauguração, tendo 3,7 milhões de frequentadores somente em 2012.

Recentemente, entre os dias 25 a 27 de setembro, foi realizado em São Paulo o Fórum sobre Arquitetura e Urbanismo do Brasil, no Auditório Ibirapuera, buscando soluções urbanas, no qual Joshua David e Robert Hammond falaram sobre o ativismo das comunidades. Falando nisso, uma associação já se manifesta para implantar um projeto similar na metrópole paulistana. E aí, será que o Minhocão (Elevado Costa e Silva) vai virar parque?

Confira mais fotos do High Line construído em Nova York:

Fotos: Divulgação.