Fundação Salvador Arena adere ao Programa de Reciclagem de Copos de Polipropileno PP

699 Visualizações

O futuro das próximas gerações depende de ações feitas no presente. E é projetando dias melhores que a Fundação Salvador Arena alia seu trabalho na área da Educação à medidas que preservem o meio ambiente, ao qual estamos inseridos.

O complexo educacional, localizado em São Bernardo do Campo, aderiu ao Programa de Reciclagem de Copos de Polipropileno (PP). A ação, promovida pela Braskem (a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas), junto a empresa Dinâmica Ambiental (especialista em logística reversa e gestão de resíduos), tem como objetivo valorizar a reciclagem do plástico e toda sua cadeia produtiva. “Todas as ações devem ter foco na redução do desperdício e de geração de resíduos. É de responsabilidade de todos promover a preservação do meio ambiente e, por meio de exemplos práticos, mostrar aos nossos alunos, pais e funcionários como é possível contribuir para essa questão”, falou o coordenador de Infraestrutura do CEFSA (Centro Educacional da Fundação Salvador Arena), Gerson da Cruz Oliveira.

O CEFSA é o principal projeto da Fundação Salvador Arena no setor educacional e beneficia atualmente 2.733 estudantes da educação infantil, básica, técnica e superior, gratuitamente. Nele, estão integrados o Colégio Termomecanica (CTM) e a Faculdade de Tecnologia Termomecanica (FTT).

Programas

O trabalho executado no CEFSA voltado à conscientização ambiental envolve tanto os alunos quanto os funcionários. Diversas ações são desempenhadas, como o programa Bandeja Limpa, cujo objetivo é conscientizar quanto ao desperdício de alimentos.

Outro programa é o Reciclo, que visa desenvolver a cultura de aproveitamento dos resíduos orgânicos por meio de diferentes técnicas de compostagem. Dessa forma, todo resíduo orgânico gerado na instituição é tratado internamente e transformado em adubo, utilizado nas hortas existentes no CEFSA. Nelas, são produzidas verduras e legumes que são usados no preparo das refeições oferecidas. A água usada para irrigação das hortas é provenientes de sistema de captação de água de chuva.

O Programa de Reciclagem de Copos de Polipropileno (PP) vem agregar ao compromisso do CEFSA com a sustentabilidade. “Sempre tivemos a preocupação de dar o destino correto para este e outros itens que podem ser reciclados. Antes da adesão ao programa, nós encaminhávamos todos os materiais recicláveis para uma cooperativa na cidade de São Bernardo do Campo. Porém, devido ao alto volume de copos de PP utilizado nas nossas dependências, buscamos um destino ainda mais assertivo e confiável para esse material”, contou Oliveira, acrescentando que a adesão traz maior controle e transparência no processo de gestão ambiental, já que “os copos serão enviados para reciclagem de forma correta”.

Pesquisas demonstraram que os copos descartáveis de PP demandam 30% menos energia em seu ciclo de vida se comparados aos copos de vidro. Estes, por sua vez, consomem grande quantidade de água durante as lavagens manuais. “Quando falamos de redução de impacto ambiental é importante analisar de forma ampla. Esses estudos revelam que também devemos considerar os recursos que são utilizados na produção e ao longo do uso, por exemplo, o consumo de água para higienização dos copos de vidros”, pontua Oliveira.

Impactos

O coordenador de Infraestrutura do CEFSA ressalta que o Programa de Reciclagem de Copos de Polipropileno (PP) tem impactos positivos nos três pilares que apóiam o conceito de sustentabilidade: ambiental, social e econômico. “Na área ambiental, reduz o envio de material reciclável para aterros e a extração de matéria-prima virgem da natureza. Na área social, gera empregos em toda a cadeia de logística reversa e, na área econômica, gera receita quando da transformação da resina plástica reciclada em novos produtos”, elenca.

Conscientização

O  Programa de Reciclagem de Copos de Polipropileno (PP) faz parte da plataforma Wecycle, que foi criada com o objetivo de fomentar negócios que valorizem os resíduos plásticos ao longo de toda a cadeia produtiva, contribuindo com ações a favor da reciclagem, do pós-consumo e do meio ambiente.

Os copinhos coletados pela Dinâmica Ambiental serão transformados em resina, utilizada para a fabricação de novos itens, como por exemplo, tampas para cosméticos e utensílios domésticos.

Para Oliveira, a iniciativa é uma forma concreta de mostrar que os produtos feitos com material reciclado podem ser viáveis financeiramente, além de bonitos e de qualidade. “Acreditamos que a proposta do programa é muito boa e tem tudo para gerar impacto positivo na área ambiental, reduzindo o envio de copos plásticos para aterros sanitários, direcionando-os para reciclagem e transformando-os em novos produtos a partir da matéria-prima reciclada”, conclui.