Consumidores preferem empresas que investem em sustentabilidade, diz pesquisa

210 views

O último relatório do Capgemini Research Institute, trouxe uma informação que o mercado vem observando há muito tempo: as preferências do consumidor são realmente impactadas pela sustentabilidade.

A pesquisa intitulada Consumer Products and Retail: How sustainability is fundamentally changing consumer preferences, entrevistou 7.500 pessoas e 750 grandes organizações, além de também ouvir especialistas no assunto, com o objetivo de entender como a sustentabilidade pode influenciar os padrões de compra dos consumidores.

A pesquisa revelou que oito em cada dez pessoas fazem suas escolhas de compra baseadas na sustentabilidade, mesmo agora, em tempos de pandemia do coronavírus. Além disso, 79% dos entrevistados estão dispostos a mudar as suas preferências de compra, com base nos critérios de sustentabilidade, de inclusão e de impacto ambiental das marcas.

A pesquisa mostra ainda que essa preferência é válida não só para produtos, mas também para serviços. Os salões de beleza, por exemplo, também podem se tornar mais sustentáveis ao gerenciar corretamente os seus resíduos. Isso porque os produtos usados nos salões, como tintas, esmaltes, spray aerossóis etc., apresentam composição química complexa e não podem ser descartados sem um cuidado especial.

Sendo assim, se um salão adota procedimentos para um descarte seguro de seus resíduos, certamente os seus clientes se sentirão mais confiantes em saber que podem realizar os seus procedimentos, sem causar impactos negativos ao meio ambiente.

Volta dos descartáveis

A pesquisa mostrou também que, por conta da pandemia do coronavírus, quase 40% dos consumidores estão preferindo usar materiais descartáveis, como copos e outros tipos de embalagens, para evitar a contaminação.

Por conta disso, muitas empresas estão reavaliando suas práticas de sustentabilidade, pois o banimento aos descartáveis não faz mais sentido, tendo em vista que esse tipo de material contribui para que doenças não sejam disseminadas.

A Starbucks, por exemplo, proibiu temporariamente o uso de copos reutilizáveis, ​​em resposta ao surto de coronavírus. O estado da Califórnia, nos Estados Unidos, suspendeu a proibição do uso de sacolas plásticas nos supermercados, além disso, 78% das organizações entrevistadas concordam que seus modelos de negócios, bem como suas práticas, deverão ser reavaliadas sob uma perspectiva que não só valorize o meio ambiente, mas também a saúde das pessoas.

Modelo ideal

Para que possamos continuar fazendo uso saudável dos descartáveis, é preciso que este material, após o uso, tenha um destino correto. O plástico, quando descartado da forma correta, não causa prejuízos ao meio ambiente – principalmente à vida marinha.

Por isso, cabe a nós praticarmos a coleta seletiva, já que a reciclagem não é mais uma opção, mas sim um dever de todos!

E se você deseja fazer algo, mas não sabe por onde começar, saiba que existe um programa que promove logística reversa e reciclagem de copos descartáveis nas empresas.

O Programa de Reciclagem de Copos contribui para que este material tenha mais chances de retornar ao ciclo de produção como matéria-prima, pois ele é transformado em resina pós-consumo, que é usada na fabricação de novos produtos.

Para se ter uma ideia, de fevereiro de 2019 a junho deste ano, mais de 27 mil quilos de copos plásticos foram reciclados, totalizando aproximadamente 17 milhões de copos.

O programa faz parte da plataforma I’m green™ da Braskem e é realizado em parceria com a Dinâmica Ambiental. Além disso, o projeto conta com o apoio de empresas como Copobras, Altacoppo e Jaguar Plásticos.