Arquifoam adere ao Programa de Reciclagem de Copos de Polipropileno PP

190 Visualizações

Dedicada a criar soluções inteligentes para ações estratégicas, a Arquifoam, referência na fabricação de materiais resistentes a base de polipropileno, agora participa do Programa de Reciclagem de Copos de Polipropileno (PP), uma iniciativa da Braskem junto a empresa Dinâmica Ambiental, que tem como objetivo valorizar a reciclagem e toda a cadeia produtiva do plástico.

Segundo o Diretor Comercial da Arquifoam, Carlos Henrique Leão, a empresa, que adotou medidas mais sustentáveis em 2009 em prol de produtos de melhor qualidade, só viu sua produção aumentar desde então. “A Arquifoam dedica-se exclusivamente a projetar displays de alta qualidade a base de polipropileno alveolar de alta gramatura, o que, além de ajudar o planeta, permitem prazos de fabricação recorde e redução drástica de custos para nossos clientes”, disse.

Com uma filosofia que valoriza o meio ambiente e ressalta a importância da sustentabilidade, a Arquifoam tem adotado cada vez mais ações que reduzem os desperdícios. “Investimos em equipamentos de alta tecnologia, que consomem até 85% menos energia do que os convencionais e somente utilizamos tintas livres de solventes e de gases voláteis no processo de cura (da produção do display)”, contou. A sustentabilidade se estende até o momento de o produto chegar às mãos dos clientes. Os displays, ao serem desmontados e embalados para distribuição, resultam em uma redução de até 90% do volume de carga, possibilitando a otimização do transporte. Com isso, há diminuição do trânsito e, consequentemente, redução da emissão de gases dos caminhões e do consumo de combustíveis fósseis.

Reciclagem de Copos de PP

A adesão ao Programa de Reciclagem de Copos de Polipropileno (PP) é a primeira ação externa da qual a Arquifoam participa. Além de trabalhar junto aos seus colaboradores a separação correta dos copinhos descartáveis usados no ambiente corporativo, a empresa é a responsável pela fabricação dos coletores que serão utilizados por todos os participantes da iniciativa. “O PP é um material versátil e largamente utilizado em diversas indústrias, incluindo a fabricação dos nossos displays, embalagens, no setor automobilístico, moveleiro, entre outros. A discussão verdadeira (sobre a questão) deve ser o fechamento completo do ciclo, desde a fabricação dos produtos até a destinação correta ao final”, falou.

Sendo a Arquifoam uma empresa de alcance global, a companhia destacou o programa no encontro anual dos franqueadores e distribuidores de cada país, que ocorreu na semana do dia 18 de fevereiro em Punta del Este, no Uruguai. Foi no país que a Arquifoam iniciou suas atividades no ano 2000. Hoje, além do Brasil, possui fábricas na Argentina, México, Panamá, Porto Rico e Colômbia, tendo também escritórios e representação nos Estados Unidos e Europa. Ainda neste ano, anunciará o lançamento de, pelo menos, mais três unidades na América Latina.

“Participar ativamente de programas que promovam ações em prol do meio ambiente é uma maneira importante de enraizar o pensamento verde em todas as práticas da empresa, nas ações dos colaboradores dentro e fora dela e, ao mesmo tempo, permite externar aos nossos clientes essa nossa preocupação”, ressaltou Leão. “Empresas que não perceberem ou não valorizarem a importância das práticas sustentáveis simplesmente tendem a sumir”, completou.

Disseminação do tema

O Diretor Comercial salienta que a iniciativa da Braskem junto a Dinâmica Ambiental, de criar o Programa de Reciclagem de Copos Descartáveis de PP, “veio em momento muito oportuno”, uma vez que, apesar da discussão acerca da preocupação ambiental estar em evidência, ações práticas ainda são isoladas e pouco frequentes na maioria das empresas. “É importante promover ações de conscientização de baixo custo, porque essas são as mais fáceis de implementar e, consequentemente, as que têm maior impacto ao meio ambiente”, frisou.

Para Leão, as informações sobre o material plástico e seu processo de reciclagem precisam ser melhor difundidas. “As discussões atuais sobre a utilização do plástico e outros materiais são, em geral, extremamente superficiais e acabam prestando um grande desserviço à causa ambiental. Sem informações precisas, embasamento técnico e acesso a estudos aprofundados o debate acaba sendo inútil, ainda que a intenção das pessoas sejam as melhores possíveis”, destacou. “Tão importante quanto o descarte correto dos copos plásticos é a oportunidade de discussão sobre o tema de sustentabilidade e reciclagem. A conscientização é uma semente que, após plantada, deve ser cultivada diariamente, com carinho e seriedade”, concluiu.