Dicas para tomar a sua cervejinha gelada de forma sustentável

144 views

Quem não gosta de tomar uma cervejinha para relaxar, não é mesmo? Mas, você sabe o impacto ambiental que ela causa?

O Brasil é o terceiro maior produtor de cerveja no mundo. O setor, em constante crescimento, está diretamente ligado ao desenvolvimento do país e representa 1,6% do PIB (Produto Interno Bruto). Isso é ótimo para a economia, melhor ainda para o seu happy hour, mas traz impactos para o meio ambiente com uma pegada surpreendentemente grande.

Para a produção de 1 litro de cerveja são gastos, em média, 5 litros de água. Dados do WWF indicam que a água utilizada nas plantações de cevada chega a ser 30 vezes maior que o volume utilizado no processo industrial. Veja o que mais é impactado nesse mercado:

Antes, plantio da cevada: por ser um plantio de monocultura (áreas extensas para o cultivo de somente uma espécie de planta), resulta em possíveis desmatamentos e ocupação ilegal de terras, que causam danos à fauna, excesso de uso de agrotóxicos e combustíveis fósseis, produção de resíduos e emissão de gases causadores do efeito estufa.

Durante, no consumo de energia: é alto devido aos processos de aquecimento, resfriamento, movimentação do maquinário e acondicionamento em tanques específicos da fábrica até o freezer do mercado ou do bar.

Depois, no pós-consumo: garrafas de vidro não retornáveis acabam indo para o meio ambiente sem qualquer tipo de reciclagem. Em compensação, as latinhas de cerveja são fáceis de reciclar e uns dos produtos recicláveis mais procurados e valorizados pelos catadores.

Mas, e as empresas?

Algumas empresas já trabalham com latas sustentáveis e logística reversa para o recolhimento de embalagens nos bares para levar de volta à fábrica.

Quando falamos dos novos consumidores adultos, a sustentabilidade é considerada um dos principais atributos de valoração. Eles não se importam de pagar mais por um produto que é mais sustentável e ajuda na preservação ambiental.

Pensando nisso, a AMBEV desenvolveu uma latinha sustentável para a cerveja da marca Corona, que é vendida em um pack com seis unidades de 350ml unidas por uma lâmina de papel cartão afixado no topo da caixinha. A inovação, conhecida como keel clip e inédita no Brasil, é proveniente de fontes regeneráveis como o papelão reciclado e proveniente de florestas plantadas exclusivamente para esse fim.

A Heineken não é verde só na embalagem. A empresa pretende tornar toda sua cadeia de valor neutra em carbono até 2040, desde a agricultura, passando pela produção até a embalagem. Hoje, seis das 12 grandes cervejarias do grupo no Brasil já usam biomassa nas caldeiras, em vez de gás natural.

Bebendo de forma mais sustentável

Existem algumas dicas simples para beber de forma sustentável. Confira algumas delas:

– Escolha uma cerveja com certificação orgânica de uma cervejaria que valorize a sustentabilidade em suas operações, principalmente se a cervejaria for local.

– Dê preferência às cerveja em lata, já que o alumínio é um material mais fácil de reciclar do que o vidro. Outra alternativa são as garrafas de vidro retornáveis.

– Opte por estabelecimentos mais próximos de casa, assim você evita a pegada de carbono pelo uso do automóvel. Se não tiver jeito, lembre-se da boa e velha carona.

Claro, longe de nós sugerir que você abandone aquela breja gelada. O ideal é sempre fazer escolhas mais sustentáveis. Beber de forma consciente é bom para a sua saúde e não prejudica o meio ambiente! E lembre-se, neste caso, não dirija!

Fontes: CervBrasil | BLUELAND | Hypness | Época Negócios