Reciclagem tem grande potencial para o meio ambiente

1.536 Visualizações

Uma das principais características de materiais como o plástico, tão presente no dia a dia, é a de grande potencial para a reciclagem. No entanto, o Brasil precisa ampliar essa ação que tanto contribuirá com o meio ambiente e os recursos naturais.

Recente estudo feito pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF, sigla em inglês), mostrou que o país é o 4º maior produtor de resíduos plástico do mundo e um dos que menos recicla este tipo de material: apenas 1,2% é reciclado.

O Brasil produz 11.355.220 milhões de toneladas de resíduos plástico por ano, mas somente 145.043 toneladas são recicladas. O restante é descartado de forma irregular ou ficam em aterros sanitários.

A mudança dessa realidade, porém, está no consumo consciente e na reciclagem, e a importância do ato faz-se cada vez mais necessária de ser difundida e praticada.

O impulso da Economia Circular

A reciclagem é a mola propulsora da Economia Circular, que envolve a prática de manter os recursos em uso o maior tempo possível, utilizar um produto da maneira mais eficiente que puder, além de recuperar e regenerar materiais em todo o seu ciclo de vida.

A ação reflete positivamente não só no meio ambiente, com o fato de não o poluir e poupar recursos finitos para sua fabricação, como também tem grande valia no setor social. Milhares de empregos são gerados em cooperativas e empresas que se dedicam a coletar os resíduos recicláveis e fazer valer a máxima de que, na natureza, nada se perde, tudo se transforma.

Reciclou, está novo

Dos itens de plástico descartados separadamente de demais tipos de resíduos, para que não se contaminem, inúmeros novos produtos podem surgir. Itens feitos de PP (polipropileno), por exemplo, são 100% recicláveis. Conhecidos por sua qualidade (boa resistência térmica, química, à solvente e à quebra), ao passar pelo processo de reciclagem podem ser transformados em novos produtos , como embalagens de produtos de limpeza, por exemplo.

Ação e transformação

Para que os 4 Rs da sustentabilidade (Repensar, Reduzir, Reutilizar e Reciclar) se concretizem e mudem a estatística constatada pelo estudo da WWF, a responsabilidade é compartilhada entre poder público, consumidores e fabricantes. O primeiro precisa oferecer à população serviço de coleta seletiva e promover a educação ambiental, para que os cidadãos saibam os impactos ambientais, sociais e financeiros que o descarte incorreto de resíduos causa, e sejam estimulados a separarem seus resíduos corretamente, garantindo assim, que a roda da Economia Circular possa efetivamente girar.

Já por parte das empresas, a contribuição está em executar ações que também resultem no reaproveitamento dos produtos que oferece, seja em seu ciclo, em outros ciclos produtivos, ou na destinação final ambientalmente adequada. A Braskem, por exemplo, a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas, desenvolve iniciativas para fortalecer a economia circular. Uma delas, por exemplo, é o Programa de Reciclagem de Copos Descartáveis de PP. A medida é feita em parceria com a empresa Dinâmica Ambiental, especialista em engenharia reversa e gestão de resíduos, e tem o apoio das empresas Altacoppo, Copobras e Jaguar Plásticos.

O projeto faz parte da plataforma Wecycle, que busca desenvolver negócios e iniciativas para a valorização de resíduos plásticos por meio de parcerias que envolvam a reciclagem.

Os copos descartáveis de PP coletados nas empresas que aderem ao programa são encaminhados para recicladoras parceiras Wecycle. O material será transformado em resina pós-consumo e utilizado na fabricação de novos produtos, como tampas para cosméticos e utensílios domésticos.

Repensar

Acima de tudo, para que o meio ambiente seja preservado, é necessário a reflexão de todos, desde a real necessidade de consumo dos produtos até a sua reutilização e reciclagem.

Pratique o consumo consciente, avalie o ciclo de vida dos produtos em seu dia a dia e faça as melhores escolhas.