Jordânia está se tornando um deserto verde

577 views

O Projeto Floresta no Saara tem como objetivo tornar o deserto um local verde e produtivo. E, para isso, eles estão contando com alta tecnologia, que traz muitos benefícios ecológicos e sociais

Você sabia que o deserto do Saara já foi um local coberto por pastagens e que recebia muita chuva? O exército de Júlio César, inclusive, conquistou grande parte do território africano ao norte do Saara, transformando-o em florestas e terras produtivas. Por quase 200 anos, o norte da África forneceu cerca de dois terços do suprimento total de grãos de Roma. Isso resultou em desmatamento, aumento da salinidade do solo e perda de minerais.

Da mesma forma que o extrativismo contribuiu para a perda de vegetação natural, o Projeto Floresta no Saara (em inglês: Sahara Forest Project) propõe usar práticas para restaurar e restabelecer a vegetação em áreas áridas, revertendo a desertificação.

O local escolhido para receber o projeto fica na Jordânia, que é mundialmente conhecida por enfrentar graves problemas hídricos. Para se ter uma ideia, o pequeno país do Oriente Médio conta com menos de 1% de área de cobertura florestal e mais de 90% de área desértica.

Floresta no Saara

O Projeto Floresta no Saara é uma iniciativa que utiliza soluções tecnológicas e ambientais para a produção de alimento, água doce, biocombustíveis e eletricidade em áreas desérticas com alta incidência solar. A área é capaz de produzir até 130 mil kg de alimentos por ano e 10 mil litros de água fresca por dia.

As placas solares geram eletricidade suficiente para alimentar as bombas de irrigação, que permitem o processo de dessalinização da água do mar. Além disso, o projeto também tem o seu viés social, uma vez que contribui para a geração de empregos para jovens jordanianos.

Expansão

Recentemente, foi assinado um acordo na capital da Jordânia, Amã, entre o Projeto Floresta no Saara e a Aqaba Development Corporation.

O acordo prevê a construção de um aqueduto que facilitará a transferência de águas do Mar Vermelho, com o objetivo de expandir a produção de vegetais de maneira ecológica, restaurando a vegetação da região, além de gerar mais empregos.

No acordo está previsto que o projeto usará água salgada, luz solar, biomassa e energia limpa para cultivar vegetais em terras anteriormente áridas. O projeto pretende expandir sua cobertura de 200 mil metros quadrados, em sua primeira etapa, para 300 mil metros quadrados.

O Projeto Floresta no Saara é uma instituição norueguesa criada em Aqaba em 2010 para permitir inovação sustentável e rentável e promover o uso de tecnologias ambientais nos setores de alimentos, água e energia