Como estará o planeta em 2030?

685 views

As mudanças climáticas podem representar uma ameaça para o futuro do planeta, mas com algumas medidas corretas, a realidade pode ser bem diferente. Veja o que está sendo feito e que pode contribuir para conter o avanço do aquecimento global.

00

Os registros de temperatura global mostram que o planeta está ficando mais quente com o passar dos anos – e mais rápido do que imaginávamos.

De acordo com a Organização Meteorológica Mundial (OMM), o período de 2015 a 2019 está prestes a se tornar o mais quente de todos os tempos. Os cientistas dizem que esse tipo de fenômeno está se tornando mais provável e mais persistente, e isso se deve em parte às mudanças climáticas.

Até recentemente, a comunidade internacional havia se concentrado em tentar limitar as emissões de CO2 para conter o aquecimento. Mas, com base em dados mais recentes, outras políticas vêm sendo implementadas, com o objetivo de minimizar os efeitos desse fenômeno, cujas consequências já estão sendo vistas em todo o mundo. Sabe-se que não se trata de uma batalha fácil de ser vencida, mas já existem muitas iniciativas em andamento.

Se as medidas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas forem bem-sucedidas, na próxima década será possível alcançar novos cenários cotidianos, em vários aspectos, de acordo com o Fórum Econômico Mundial.

Mobilidade

A maioria das viagens será feita de trem ou carro elétrico compartilhado, equipado com algoritmos que selecionam a melhor rota para reduzir o consumo e maximizar o número de passageiros. Nas cidades, optaremos por caminhar, andar de bicicleta ou usar o transporte público, a fim de economizar tempo e melhorar nossa qualidade de vida através da redução de ruídos e engarrafamentos.

Arquitetura e urbanismo

As casas serão cada vez mais alimentadas por energia renovável e quase nenhum edifício de concreto será construído. Haverá menos áreas dedicadas aos carros (como estacionamentos) e mais espaços construídos para os pedestres, como parques e jardins.

Alimentos

Estarão mais disponíveis para a população alimentos a base de frutas e legumes, enquanto carnes e laticínios deixarão de ser itens essenciais em nossa dieta. Com isso, a tendência é que ocorra uma redução da atividade pecuária, com um efeito positivo no reflorestamento e, consequentemente, aumento de terras disponíveis para o cultivo de alimentos para o consumo humano.

Estes são alguns exemplos de como o planeta pode ficar na próxima década. Mas para que isso seja realidade, só dependerá de nossas atitudes pessoais e coletivas.