ONU aprova primeiro acordo global para combate ao plástico

296 views

A ONU firmou recentemente um acordo para criar o primeiro tratado global de combate à poluição plástica. A resolução foi aprovada por unanimidade pelos 175 estados membros, incluindo o Brasil, que participaram da Assembleia da ONU para o Meio Ambiente sediada em Nairóbi, Quênia.

A crescente poluição de plástico destrói biomas por todo o planeta e vem sendo considerada uma verdadeira epidemia. De acordo com a ONG WWF, caso nada seja feito, ela deverá dobrar até 2040, fazendo com que a poluição dos oceanos seja quatro vezes maior até 2050. Nesse contexto, a resolução foi considerada pela organização como o mais significativo pacto ambiental desde o Acordo de Paris, assinado em 2015.

Grupo de trabalho

No encontro, os representantes de várias nações criaram um Comitê Intergovernamental de Negociação que iniciará os trabalhos ainda neste ano, com o objetivo de concluir um projeto de acordo global juridicamente vinculante até o final de 2024.

A ideia é que o acordo traga propostas e alternativas que envolvam o ciclo de vida completo dos plásticos, incluindo o design de produtos, a utilização de materiais reutilizáveis e recicláveis e a cooperação internacional para o desenvolver e facilitar o acesso às novas tecnologias.

Reforçando o caráter urgente e a importância da colaboração mundial, a diretora-executiva do PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente), Inger Anderson, destacou que a primeira sessão do INC será aberta a todos os países interessados, para compartilhar conhecimento e melhores práticas.

“Hoje marca um triunfo do planeta Terra sobre os plásticos descartáveis. É uma apólice de seguro para esta geração e para as futuras, para que possam viver com o plástico e não serem condenados por ele”, afirmou Andersen.

Desafios adiante

Ainda não se sabe se o acordo será mais orientado para gestão e reciclagem de resíduos ou se serão adotadas medidas que limitem a produção de novos plásticos, o que provavelmente causaria resistência das indústrias de petróleo e produtos químicos, além de gigantes de bens de consumo que vendem produtos em embalagens de uso único.

Alguns dos países mais afetados pelos impactos do futuro tratado seriam os Estados Unidos, a Índia, a China e o Japão.

Vale destacar que a diminuição no consumo e produção de plástico tem grande apoio entre o público geral, com indicado por um estudo da Ipsos. Ainda assim, é necessário aguardar os próximos passos de um longo trabalho de negociação entre países para resolução desse problema tão sério.

Um programa de reciclagem brasileiro

O Brasil desenvolve iniciativas bem sucedidas em reciclagem de plástico.

Entre elas, existe o Programa de Reciclagem de Copos Descartáveis, idealizado pela Braskem, em parceria com a Dinâmica Ambiental e apoio da Copobras, Altacoppo, Unigel e Innova, que incentiva e encaminha para a reciclagem de forma correta e eficiente esses materiais tão amplamente consumidos em ambientes corporativos e eventos. Reciclados, esses resíduos viram componentes de novos produtos.

Além do reaproveitamento do plástico de uso único, o programa foca na educação e consciência ambiental, orientando e treinando colaboradores das empresas que dele participam quanto aos procedimentos de logística para destinar corretamente os copos plásticos após utilização.

Entre para esse movimento em prol do meio ambiente. Entre em contato com a equipe da Dinâmica Ambiental e saiba mais.

***

Tem interesse em saber mais sobre meio ambiente e sustentabilidade? Conheça também o podcast do Pensamento Verde e ouça bate-papos com profissionais especialistas no tema.

Fontes: Projeto Colabora | O Globo | Isto É Dinheiro