Marcas defendem medidas para combater a poluição por plástico

991 views

Marcas internacionais, como PepsiCo e Coca Cola, defenderam recentemente a criação de um pacto global para combater a poluição causada por plásticos, sugerindo cortes na produção do material, o que afetaria o crescimento da indústria petrolífera, que tem o setor como um dos seus principais clientes.

A declaração conjunta foi assinada este ano por mais de 70 empresas, entre elas algumas do setor de bens de consumo, como Unilever e Nestlé, que vendem uma série de produtos com embalagens de plástico descartável (de xampus a barras de chocolate), além da rede varejista Walmart e o banco francês BNP Paribas.

Neste ano, autoridades mundiais se reunirão em uma conferência na Assembleia das Nações Unidas para o Meio Ambiente para negociações sobre um tratado contra os resíduos plásticos que devastam os oceanos e sua vida selvagem.

Não se sabe se o possível acordo terá como foco a gestão e reciclagem de resíduos, ou se serão adotadas iniciativas mais duras, como a restrição da produção de novos plásticos, ação que provavelmente enfrentaria resistência das indústrias de petróleo e produtos químicos, além dos grandes países produtores de plástico como os Estados Unidos.

Reciclagem é uma das apostas

De acordo com a WWF, menos de 10% de todo o plástico já produzido até hoje foi reciclado. Além disso, estudos apontam que a produção de plástico deverá dobrar até 2040 e é esperado que a poluição nos oceanos seja quatro vezes maior até 2050. Por essas razões, iniciativas de reciclagem, além de fundamentais, são uma das apostas do mercado para reverter esse cenário.

O Programa de Reciclagem de Copos Descartáveis é um exemplo. Idealizado pela Braskem, em parceria com a Dinâmica Ambiental e apoio da Copobras, Altacoppo, Unigel e Innova, a iniciativa encaminha para a reciclagem de forma correta e eficiente esses materiais tão amplamente consumidos em ambientes corporativos e eventos.

Como funciona:
Os copos descartáveis são recolhidos pelas equipes da Dinâmica Ambiental e encaminhados às recicladoras. Lá, são transformados em resina pós-consumo e ganham novas utilidades, podendo ser aplicados nos segmentos de tampas de cosméticos e produtos de limpeza, utilidades para o lar, na indústria automotiva ou moveleira e na fabricação de eletrodomésticos e bicicletas.

Além da contribuição com a economia circular, o programa também é educativo, já que os colaboradores das empresas participantes recebem treinamentos sobre o processo de descarte e outras boas práticas sustentáveis. Assim, eles podem compartilhar essas informações com a família e levar a sustentabilidade para dentro de casa!

Para fazer parte dessa iniciativa e contribuir com a preservação dos nossos oceanos e meio-ambiente, entre em contato com a Dinâmica Ambiental.

Fontes: Reuters | Veja