Baterias do futuro serão livres de metais tóxicos

429 views

Descoberta feita no centro de pesquisas da IBM, usa material isento de cobalto, níquel e outros metais pesados

O uso de baterias é cada vez mais comum e, apesar da praticidade que elas nos proporcionam, quando a vida útil termina ficamos com o problema do descarte.

As substâncias presentes nas baterias atuais geralmente contém metais pesados como mercúrio, chumbo e cádmio, que são extremamente nocivos ao meio ambiente e à saúde humana, quando descartados em lixo comum.

Recentemente, a IBM Research, braço de inovação tecnológica da IBM, descobriu que a combinação de três elementos resultou em uma material que possibilita a criação de baterias sem a necessidade do uso de metais pesados ​e outras substâncias tóxicas. Os materiais desta nova bateria, de acordo com a empresa, podem ser extraídos da água do mar, com técnicas de fornecimento menos invasivas do que os métodos atuais de mineração, que oferecem riscos tanto para as pessoas que fazem a extração, como para o meio ambiente.

O cobalto é um exemplo deste problema. A República Democrática do Congo é um dos maiores depósitos de cobalto do mundo. A extração deste minério gera uma poeira tóxica que ameaça a saúde dos que trabalham nesta atividade – geralmente crianças – e das comunidades locais.

Melhor desempenho

Nos testes realizados, o desempenho da nova bateria também demonstrou ser melhor do que as convencionais, feitas com íon de lítio, com tempo de carregamento mais rápido, maior densidade de potência e energia, alta eficiência energética e baixa inflamabilidade, além de terem custos mais baixos.

Essa descoberta possui um potencial significativo para o setor de veículos elétricos, por exemplo, onde as principais preocupações são com a inflamabilidade, custo e tempo de carregamento das baterias.

Nos testes atuais, as novas baterias mostraram que são necessários menos de cinco minutos para 80% de carga. Com isso, a produção de um veículo elétrico de carregamento rápido e com baixo custo pode se tornar realidade muito em breve.

Comercialização

Para que essa novidade seja disponibilizada ao mercado, a IBM se uniu à Mercedes-Benz Research and Development America do Norte, bem como às empresas de baterias Central Glass e Sidus, para que o projeto se concretize, uma vez que os planos para a comercialização dessa bateria em larga escala ainda estão em andamento.