Condomínio-floresta protege moradores da poluição

379 Visualizações
Fonte: Divulgação O projeto se assemelha a uma casa na árvore, abrigando vegetação por toda a fachada.

Meio ambiente e desenvolvimento urbano podem caminhar lado a lado. Uma prova de que isso é possível é o projeto assinado pelo arquiteto italiano Luciano Pia que protege moradores da poluição de uma grande cidade, neste caso, Turim na Itália. O “condomínio-floresta” conta com apartamentos construídos com madeira, aço e enormes vasos com  vegetações variadas por toda a fachada.

O projeto abriga 150 árvores altas (de dois a nove metros) e 50 plantas, que, em conjunto, têm a capacidade de produzir até 150.000 litros de oxigênio a cada sessenta minutos durante o dia.

No período noturno, o “condomínio-floresta” absorve pouco mais de 200.000 litros de dióxido de carbono. Tudo isso cria um clima diferenciado no interior dos apartamentos e diminui o calor intenso no verão e o rígido frio no inverno. Além disso, os terraços são construídos irregularmente de propósito para facilitar a entrada da luz solar nos ambientes.

O projeto possui no total 63 unidades residenciais e garante isolamento térmico, ventilação pelas paredes, desvio da luz direta do sol, calefação através de água subterrânea, sistema de coleta de água de chuva para reúso na irrigação, entre outras medidas para diminuir o impacto ambiental da construção.

Por fim, Luciano Pia explica que após o crescimento da vegetação ser concluído naturalmente, a impressão será de que existe ali uma casa na árvore.

Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação
Fonte: Divulgação