Casas flutuantes se adaptam ao nível do mar em Kiribati

131 views

Arquiteto polonês projeta plataformas flutuantes para ajudar o povo de Kiribati, um país da Oceania que está sendo invadido pelo mar

O Kiribati é um pequeno país da Oceania, que conta com uma população estimada em cem mil habitantes.

De acordo com um relatório da ONU de 1989, Kiribati seria o primeiro país a ser dizimado pela mudança climática no século XXI, devido à elevação do nível dos mares.

Fugir não é a solução para os moradores, é por isso que as Casas Flutuantes são tão necessárias para aquele povo. E com o objetivo de encontrar soluções inovadoras para este problema, o Young Architects Competitions (YAC) (em português, Concurso para Jovens Arquitetos) criou um concurso para arquitetos e designers de todo o mundo, que tiveram como desafio projetar um modelo de habitação capaz de se adaptar à ameaça da elevação do nível das águas em Kiribati.

O arquiteto polonês Marcin Kitala ganhou o primeiro lugar nesta competição por apresentar o seu projeto “Rikki” – que na língua nativa de Kiribati significa ‘mudança de clima ao longo de muitos dias’.

O projeto de Marcin Kitala consiste na criação de um sistema de plataformas em formato pentagonal, que podem ser facilmente conectadas ou desconectadas. Os módulos têm uma área total de 4300 m², com cada lado do pentágono medindo 50 metros. Planejado para acomodar até 30 habitantes em até 5 casas, o projeto evita uma alta densidade de edifícios, a fim de preservar a natureza atual dos edifícios Kiribati, que são baixos e entrelaçados, com vegetação abundante.

Os módulos contam com um sistema de purificação de água, uma estufa, horta e painéis solares. A ideia é que os próprios moradores terminem as suas casas, seguindo a tradição de Kiribati.

Para conhecer os outros projetos vencedores, é só entrar neste link.

Fotos: Cortesia YAC – Young Architects Competitions