Home > Sustentabilidade > Experimento com balões de ar pode melhorar eficiência de painéis solares

Experimento com balões de ar pode melhorar eficiência de painéis solares

Os balões serão capazes de superar as nuvens e captar energia solar de forma direta e sem interrupções

24 de janeiro de 2016
publicado por
Redação

2015-2016 PixScience.fr/ Grégoire CIRADE pour CNRS Le Journal Os balões podem flutuar acima das nuvens e captar a energia solar em camadas mais altas.

Os painéis solares são ótimas fontes de energia sustentável e estão em plena expansão de uso em todo o mundo. O problema desse tipo de produção de energia é que em períodos de falta de incidência solar eles tornam-se incapazes de continuar a produção, por isso, locais em que o inverno é muito rigoroso e onde durante longos períodos a luz solar é insipiente, essa fonte de energia torna-se uma má opção.

Pensando nisso o eletroquímico Jean-François Guillemoles desenvolveu uma ideia que pode solucionar este problema. O cientista criou balões que podem flutuar acima das nuvens e captar a energia solar em camadas mais altas do que a superfície terrestre. Esse método poderá fazer com que a capacidade de geração de energia solar se multiplique. O estudo de Guillemoles está em andamento no laboratório NextPV (uma parceria entre França e Japão).

Iniciativa quer aumentar a captação dos raios solares

Com balões carregadores de painéis solares a uma distância de mais ou menos 20km é possível alcançar uma camada do céu em que a incidência solar é muito forte e direta. A energia solar é uma tecnologia relativamente recente e que vem se popularizando de forma que hoje já é compensatório investir nos painéis. Os esforços de Guillemoles são para que a eficiência desse tipo de energia seja ainda mais explorada para que ela possa representar uma matriz energética preponderante no mundo e cada vez mais sustentável.

Para que isso ocorra é preciso uma produção contínua de mais de um terawatt de energia elétrica pela matriz solar. Hoje os métodos existentes não permitem que esta meta seja alcançada, especialmente na medida em que a produção precisa estar perto de quem consome e algumas regiões não recebem luz solar abundantes.

O uso de balões amarrados feitos de polímeros leves poderia ser uma solução para essas questões. O projeto prevê que o gasto para a produção desses balões seria baixo e suas instalações poderiam ser rápidas e reversíveis. Esses balões terão tecnologia e materiais menos poluentes e suas capacidades de armazenamento de energia poderão durar cerca de 10 dias.