Empresa dinamarquesa de energia eólica abre fábrica no Ceará

Com investimentos de R$ 100 mi, nova fábrica deve entrar em operação em dezembro, gerando mais de 500 postos de trabalho

2 de fevereiro de 2016
publicado por
Redação

Reprodução / Facebook Unidade construída em Aquiraz deve garantir o desenvolvimento sustentável da região.

Diante de um cenário desafiador, com economia e política em crise, os investimentos em energias renováveis têm se destacado no mercado brasileiro, conhecido pela sua grande capacidade eólica e solar.

Para impulsionar ainda mais o setor, a companhia de energia eólica Vestas acaba de inaugurar uma fábrica na cidade de Aquiraz, no Ceará. Além dos benefícios da energia limpa, a unidade deve garantir o desenvolvimento sustentável da região, já que a estimativa é de que mais de 500 postos de trabalho diretos e indiretos sejam gerados.

A unidade, que produzirá turbinas eólicas, ocupa uma área total de 20 mil metros quadrados e conta com um centro de estoque e distribuição. Para garantir maior eficiência, a empresa conta, ainda, com uma unidade para capacitação de pessoas, onde profissionais do Brasil e de países vizinhos passarão por cursos e treinamentos.

Produção para a América Latina

Atuando no Brasil desde 2000, a Vestas conta com 13 parques eólicos no país, onde já possui 364 turbinas instaladas, o que representa uma capacidade total para gerar 713 MW de energia. A expectativa é que a produção da unidade de Aquiraz possa fornecer equipamentos também para outros países da América Latina.

O ciclo de investimentos é completado pela parceria com as nacionais Aeris, produtora de pás eólicas e a ABB, responsável pela fabricação de geradores. A ideia é reforçar o desenvolvimento da cadeia produtiva local e demonstrar a confiança e expectativa que o mercado, em geral, tem neste setor.

Nordeste é considerado ponto estratégico para o mercado

A escolha do Ceará se deu, principalmente, devido à sua localização. Próximo dos principais centros consumidores, o estado, juntamente com Rio Grande do Norte, Bahia e Rio Grande do Sul, é um dos maiores potenciais de geração eólica do Brasil.

Os aerogeradores respondem por, no mínimo, 30% da eletricidade produzida no Nordeste, contra 5% no total do país. A expectativa do setor, segundo a Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), é chegar a 10% até 2018.

Além dos investimentos da Vestas, outras empresas devem contribuir para o crescimento do mercado. A Votorantim Energia anunciou investimento de R$ 1,13 bilhão para a construção de sete parques eólicos no Piauí, na fronteira com Pernambuco, até 2018.