Home > Mobilidade Urbana > 7 cidades pelo mundo que estão se tornando livres de carros

7 cidades pelo mundo que estão se tornando livres de carros

Para solucionar os problemas de mobilidade urbana, algumas cidades vêm investindo em transportes alternativos

9 de março de 2015
publicado por
Redação

Quando foi criado, o carro era considerado a maior inovação do século e o item de desejo de todos, principalmente da alta sociedade. Hoje, mais de cem anos após o início da corrida pela produção e venda de automóveis, essa realidade mudou.

Apesar de mais confortáveis, silenciosos e ágeis, os carros de hoje se tornaram um problema em todo o mundo. Isso porque, com o aumento da população e, também, da frota nas ruas, tornou-se praticamente impossível se locomover facilmente no dia a dia.

Estima-se que um paulistano que utiliza o carro todos os dias para trabalhar perde, em média, 1 mês de vida por ano no trânsito. Em Los Angeles, os motoristas gastam mais de 90 horas por ano procurando uma vaga de estacionamento.

Na busca pela solução dos problemas de mobilidade urbana, alguns lugares estão investindo em transportes alternativos. Confira abaixo sete cidades pelo mundo que estão que estão se tornando livres de carros:

Madri

Algumas ruas e avenidas da cidade já foram bloqueadas para tráfego de automóveis, com o objetivo de manter as áreas apenas para caminhadas. Dessa forma, é possível, apenas, que os residentes do bairro dirijam. Quem violar a lei pode ser multado em US$ 100.

Fonte: viator.com

Paris

Após a poluição atmosférica chegar a níveis alarmantes, a cidade das luzes decidiu fazer um rodízio. No centro da cidade, por exemplo, quem não mora nos bairros próximos não poderá dirigir aos finais de semana. A ideia é que até 2020, o número de ciclovias na cidade dobre e os carros a diesel sejam proibidos.

Fonte: bikepretty.com

Chengdu

A cidade satélite localizada no sudoeste da China foi projetada para andar a pé! O projeto, assinado pelos arquitetos Adrian Smith e Gordon Gill, deve ser concluído em 2020. A construção de vias foi realizada de modo a garantir que seja possível chegar a qualquer lugar andando, em no máximo 15 minutos.

Fonte: allthingsgo.co.uk

Hamburgo

Para incentivar o uso de bicicletas e as caminhadas, a cidade tem investido em uma “rede verde”, que deve ser concluída nos próximos 15 ou 20 anos. O sistema promete conectar parques em toda a cidade, permitindo o uso de bicicletas em qualquer lugar.

Fonte: © Petergutierrez

Helsinque

A cidade, que espera novos residentes ao longo das próximas décadas, apresenta um projeto que vai transformar subúrbios dependentes do automóvel em comunidades ligadas ao centro da cidade através de transporte público. Além disso, um aplicativo que permite que os usuários acessem instantaneamente uma bicicleta, carro ou táxi compartilhado, ou encontrem o ônibus ou trem mais próximo está em fase de teste.

Fonte: blog.visithelsinki.fi/

Milão

Para incentivar o abandono do carro, a cidade disponibiliza vales transporte público gratuitamente para os passageiros que deixarem seus veículos em casa. O sistema funciona por meio de um computador no painel do carro que fica conectado à internet – quando o carro fica em casa, a cidade envia um voucher com o mesmo valor do bilhete de ônibus ou trem.

Fonte: almostthere.eu

Copenhague

Desde 1960 a cidade investe em zonas de pedestres e no uso de bicicletas. Atualmente, mais da metade da população utiliza os mais de 200 quilômetros de ciclovias para trabalhar todos os dias.

Fonte: Setemalas.com.br