Holandeses usam substância encontrada em insetos para abastecer ônibus

Protótipo do projeto deve chegar às ruas holandesas ainda este ano

2 de agosto de 2017
publicado por
Redação

Reprodução / Universidade de Tecnologia de Eindhoven – Holanda Ácido que serve como combustível não poluente é encontrado em insetos como a formiga.

Quem um dia imaginaria que de um inseto de aproximadamente 10 milímetros de tamanho, um líquido poderia ser extraído e dar origem a uma das formas mais práticas, baratas e sustentáveis de combustíveis para automóveis no planeta?

Trata-se de uma fórmula produzida com ácido fórmico, que é encontrado em formigas e em outros insetos, que origina a hidrozina (nome dado à invenção). Desenvolvido por um grupo de estudantes da Universidade de Tecnologia de Eindhoven, na Holanda, o líquido está sendo usado para abastecer um ônibus elétrico, num projeto que visa criar novas alternativas de transporte livre da emissão de gases poluentes.

De acordo com Lucas van Cappellen, em entrevista ao Daily Times, um dos responsáveis pela iniciativa, a criação do primeiro ônibus movido a ácido fórmico no mundo é uma forma de garantir os mesmos benefícios ambientais oferecidos por outros combustíveis renováveis alternativos, com a grande vantagem de que sua produção é uma opção muito mais viável economicamente.

Isto porque, a hidrozina (que não tem qualquer ligação com a Hidrazina) é obtida de um processo mais rentável em todos os sentidos, já que ao invés de produzir CO2 adicional, reutiliza fontes já existentes. Para se ter uma ideia, os criadores do projeto calculam que abastecer uma rede de postos de combustível com hidrozina chega a ser até 100 vezes mais barato que hidrogênio gasoso (que é umas das tecnologias limpas mais modernas que existem).

Agora a equipe de estudantes se esforça para que, até o fim de 2017, o protótipo de ônibus movido a hidrozina chegue às ruas do país, passando por testes em rotas viárias convencionais e participando de feiras e eventos promocionais do setor.