Veja quais são os animais silvestres mais vendidos ilegalmente no Brasil

istock.com / SPmemory O tráfico de animais é um grande problema no Brasil, ainda mais nos estados da Bahia, Minas Gerais e toda a região da amazônia.

Retirar animais de seus habitats com o intuito de comercialização é uma prática ilegal, definida como tráfico de animais. Este é um problema que contribui diretamente para o desequilíbrio ecológico e causa mudanças drásticas na cadeia alimentar.

Com uma imensa e invejável biodiversidade, o Brasil é um dos países que mais são alvo do tráfico ilegal de animais silvestres. Os principais estados de captura e origem do tráfico de animais silvestres são Bahia, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Tocantins e toda a região amazônica.

Em geral, as aves destacam-se como os animais que mais sofrem com o tráfico de animais no País, especialmente as espécies de aves que são tipicamente brasileiras. Conheça, a seguir, quais são os animais silvestres mais vendidos ilegalmente no Brasil:

Animais silvestres mais vendidos ilegalmente no Brasil

Arara Canindé

Com uma expectativa de vida de 60 anos, essas aves são grandes voadoras e geralmente extremamente apegadas ao meio em que vivem — tanto aos locais onde se alimentam e crescem quanto aos locais onde se reproduzem.

Arara-vermelha

Esta é uma ave nativa das florestas do Panamá, Paraguai, Argentina e Brasil. Aqui em nosso País, pode ser encontrada da Amazônia até o oeste do Piauí, além da Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná. Seu habitat são as matas de beira de rios em florestas tropicais, cordilheiras e capões no Pantanal.

Tucano

Vítimas do tráfico de animais silvestres e das alterações em seu habitat, muitos tucanos morrem durante o deslocamento para o comércio ilegal. Essa ave possui grande importância ecológica, já que participa da dispersão de sementes essenciais na regeneração de florestas. A preservação dessa espécie é estratégia de proteção, buscando evitar seu desaparecimento do ecossistema.

Mico-leão-dourado

Antigamente, era possível encontrar com facilidade o mico-leão-dourado em toda a extensão da baixada litorânea até o sul do estado do Rio de Janeiro. Porém, essa parte da Mata Atlântica tem sido constantemente destruída pelos humanos, restringindo totalmente a presença dessa espécie à reservas biológicas.

Além da destruição de seu habitat ser um problema, o mico-leão-dourado: esse animal também é vítima da caça e venda ilegal. É totalmente válido destacar que, para cada exemplar dessa espécie que retirado de seu habitat de maneira ilegal para ser comercializado, há tantos outros que não aguentam o trajeto e morrem por conta das precárias condições de transporte.

Macaco-prego

Por conta da destruição de seu habitat e também do tráfico, o macaco-prego está ameaçado de extinção. Eles são vendidos para criação em cativeiro, principalmente por ser ensinado facilmente. Apesar da boa adaptação, criam problemas àqueles que os compram, já que é uma espécie bem ativa.

Jaguatirica

Alvo de caçadores que querem sua pele salpicada de variadas e peculiares manchas, o número de Jaguatiricas tem diminuído também graças à destruição de seu habitat. Para conseguir os filhotes que são destinados para o mercado negro da venda ilegal de animais silvestres, os caçadores matam as mães dos filhotes, diminuindo a população desta preciosa espécie.

Redacaohttp://www.pensamentoverde.com.br

A redação do Pensamento Verde possui experiência na produção de conteúdos relacionados ao tema da sustentabilidade e preservação do meio ambiente. Estamos sempre em busca de informações atuais, interessantes e de grande relevância para a sociedade, pesquisando práticas sustentáveis ao redor do mundo e trazendo para o leitor apaixonado pela natureza. Acompanhe nosso portal e mantenha-se informado, contribuindo com um futuro melhor para o nosso Planeta Terra.