Home > Meio Ambiente > Consequências do desmatamento para o meio ambiente

Consequências do desmatamento para o meio ambiente

O desmatamento é responsável pela destruição da biodiversidade, aumento do efeito estufa, desertificação, prejudicando o Ecoturismo e nossas reservas de água.

29 de julho de 2013
publicado por
Redação

O processo de desaparecimento de matas, florestas, espécies nativas de determinadas regiões é um dos principais problemas ambientais causados pela atividade humana. No Brasil existem três fatores principais que envolvem o desmatamento: maior obtenção de solo para a agropecuária, uso das árvores na indústria madeireira e a especulação imobiliária. Entretanto a prática intensa e continuada da eliminação das florestas brasileiras está ligada à falta de fiscalização do governo quanto ao cumprimento das leis, e quando isso ocorre, a justiça não pune os responsáveis pela prática.

A consequência dos desmatamentos são prejuízos ambientais e socioeconômicos muito significativos. Com relação ao ecossistema, podemos citar:

• Perda de biodiversidade da fauna e flora nativas;

• Degradação de mananciais ao remover a proteção das nascentes e prejudicar a impermeabilização do solo em torno da água;

• Aterramento de rios e lagos devido à erosão ao retirar a cobertura vegetal, comprometendo a vazão dos rios;

• Diminuição das chuvas devido à alteração das áreas de mata e do clima, causando grandes períodos de estiagem;

• Com a ausência da vida vegetal e o tratamento inadequado do solo, outra grande consequência é a desertificação do ambiente.

• Redução da umidade relativa do ar, pois com a remoção das folhagens há uma queda da regulação da temperatura ambiental, deixando-a mais alta e instável;

• Aumento do efeito estufa, pois na queimada das matas praticamente todo o carbono absorvido pelas plantas retorna à atmosfera;

• Baixa na qualidade da água devido à erosão, tornando-a muitas vezes mais turva e imprópria para o consumo;

E na sociedade as consequências do desmatamento também são visíveis e impactantes:

• O ecoturismo é um grande atrativo das cidades e regiões brasileiras, porém, com o desaparecimento das matas, esse potencial é perdido e pode trazer danos incalculáveis;

• Com sua grande diversidade biológica, o país é extremamente rico em potencial farmacêutico, já que poderia utilizar remédios e cosméticos com extratos de plantas nativas; entretanto isso não é observado, e muitas vezes perdem-se espécies ainda não conhecidas por causa do desmatamento;

• O Brasil é fortemente prejudicado com relação às suas reservas de água devido à degradação das nascentes e rios, já que hoje é considerado o país com maior reserva de água do mundo;

• O aumento da resistência a doenças e pragas na agricultura provém muitas vezes do cruzamento entre espécies nativas próximas, e com a extinção da fauna estes programas de melhoramento genético perdem grande potencial.

A teoria do desenvolvimento sustentável, que defende o desenvolvimento econômico em parceria com políticas que visam à preservação do meio ambiente, é defendida tanto por ambientalistas como por pessoas do ramo empresarial que entendem as consequências da deterioração ambiental, principalmente nas relações diretas da queda do nível de qualidade de vida da população e da pobreza.

Considerando essas informações, a inserção da conscientização feita desde a infância até a vida adulta, seja em escolas, empresas e organizações não-governamentais, tem surtido resultados que podem – e devem – impactar a atividade humana com a finalidade de preservar e recuperar o meio ambiente, que consequentemente irá afetar de forma positiva a vida da homem.